Skip to content

ACABOU O RESGATE!Todos os meninos presos e o treinador foram finalmente retirados de caverna na Tailândia

Nos últimos 18 dias que se passaram, a alarmante notícia de que 12 garotos, acompanhados do seu treinador de futebol, ficaram presos em uma caverna no interior da Tailândia, se alastrou por todo o mundo, deixando pessoas de diversos locais preocupadas e compadecidas da situação.

PUBLICIDADE

A operação de resgate que levou alguns dias. Apesar de tremendamente arriscada, devido não só as condições do local em si, mas pela iminência de potenciais novas chuvas que ameaçavam inundar ainda mais o local, a operação foi um verdadeiro sucesso. A comunidade internacional, a Tailândia, pais, familiares e amigos dos meninos, todos ficaram felizes com esse final feliz.

Hoje, terça-feira, dia 10 de julho, os últimos garotos foram finalmente resgatados. Desta feita, pode-se afirmar que todos os meninos foram tirados com vida do local em que estavam.

O grupo de meninos, em companhia de seu treinador, estavam presos em uma câmara da caverna, situada à 4 km da entrada, que ficou completamente bloqueada por causa das inundações causadas pelas chuvas, desde o dia 23 de junho, depois de terem ficado vários dias sem se alimentar.

PUBLICIDADE

De acordo com uma notícia veiculada pelo jornal americano Washington Post, as condições dos garotos conseguiram se manter razoáveis graças aos cuidados do técnico Ekapol Chanthawong, de 25 anos. Órfão, tendo quase se tornado um monge budista, ele ficou bastante fraco, por ter se alimentado bem pouco, a fim de sobrar mais comida para dar aos meninos, que possuem uma idade entre 11 e 16 anos.

A operação de resgate era complexa, delicada e muito arriscada, sendo realizada através de mergulho com utilização de máscara. O jornal Telegraph afirmou que ministraram pílulas ansiolíticas para os garoto. Para se ter uma noção do risco dessa ação de salvamento, vale lembrar que, no início das operações de salvamento, um mergulhador acabou morrendo durante o processo.

PUBLICIDADE

No lado exterior da entrada da caverna, montou-se uma espécie de acampamento para abrigar familiares das crianças, que estavam preocupados e sequiosos por notícias.

Além desse acolhimento aos familiares, as autoridades tomaram uma série de medidas para garantir a saúde, integridade física e bem-estar dos meninos assim que eles fossem resgatados, como equipes médicas, ambulâncias e atendimento de primeiros socorros.

Outra ação cuidadosa realizada pelas autoridades foi que, conforme os jovens iam saindo aos poucos da caverna, a identidade dos mesmos não eram reveladas nem mesmo para os parentes pois, segundo o governo, eles não queriam que as famílias ficassem ansiosas e angustiadas com o tempo restante das operações.

Houve também medidas para evitar que qualquer tipo de informação vazasse e acabasse prejudicando o andamento das operações, bem como deixar as famílias estressadas.

A operação em questão estava prevista para durar 4 dias e, ao final, durou 3 dias, ou seja, menos do que o esperado. Cada incursão dos mergulhadores levava por volta de 6 horas, até o local onde os garotos estavam e depois, na volta, mais 6 horas.

Os garotos eram escoltados por dois mergulhadores cada. Parte dos trechos podia ser feita à pé, mas uma boa parcela era feita mergulhando. Os meninos receberam primeiros socorros e encaminhados os hospitais. Todos estão bem.