Skip to content

Morre mergulhador da Marinha que resgatou meninos presos em caverna na Tailândia

O mergulhador da Marinha tailandesa, Saman Kunan, que integrava o conjunto de esforços para resgatar 12 meninos que ficaram presos em uma caverna na Tailândia, que estava completamente inundada, faleceu na tentativa de levar suprimentos ao agrupamento.

PUBLICIDADE

A morte de um militar altamente treinado e capacitado para essa modalidade de ação deixa bem claro o tamanho dos riscos do resgate dos adolescentes. Alguns desses garotos não sabem nadar e todos eles deverão, necessariamente, ter ao menos algumas noções básicas de mergulho para poderem sair dali.

O militar Saman Kunan já estava voltando da incursão a caverna, a qual tinha ido para levar alguns tanques de oxigênio, quando ele próprio começou a ficar sem oxigênio e por conta disso acabou morrendo.

Seus colegas de trabalho tiraram-no do local e tentaram reanimá-lo, porém infelizmente sem sucesso. A razão para quererem levar suprimento de oxigênio aos garotos se dá pelo fato da câmara na qual eles estão dentro da caverna teve sua porcentagem de oxigênio reduzida para somente 15%, enquanto que a quantia normal é de no mínimo 21%.

As idades dos garotos está entre 11 e 16 anos. Eles adentraram na caverna na companhia do treinador deles, há 12 dias. Contudo, acabaram ficando presos no momento em que uma forte tempestade inundou uma parte considerável do local e ocasionou um bloqueio na saída principal.

Passados 9 dias, mergulhadores do Reino Unido que viajaram à Tailândia para prestar auxílio no resgate encontraram o grupo de jovens reunidos em uma rocha localizada a 4 km da entrada da caverna em questão.

PUBLICIDADE

Saman Kunan tinha 38 anos de idade e já era um suboficial reformado, mas decidiu voltar a ativa na Marinha especificamente para poder ajudar no resgate dos meninos. De acordo com oficiais, o funeral do militar será custeado pelo próprio rei da Tailândia. O referido mergulhador ciclista e corredor e tinha boas condições físicas e de saúde.

Segundo um dos comandantes, as condições no interior da caverna são bastante difíceis. Arpakon Yookonghaew, um dos comandantes responsáveis pela operação de resgate, disse que Saman sofreu um desmaio no caminho de volta. Ele afirmou ainda que levaram-no para a câmara três e mesmos após m.ais uma tentativa de reanimação, ele permaneceu inconsciente.

O comandante disse que, apesar da tragédia, os esforços de resgate continuarão firmes e fortes e que eles permanecerão tranquilos para que a ação seja bem sucedida. “Não permitiremos que o sacrifício de nosso colega seja à toa”, disse Yookonghaew.

Há aproximadamente 1 mil pessoas participando da operação de resgate, entre mergulhadores da marinha, militares das demais forças e até mesmo voluntários oriundos da população civil.

Aviso para os riscos da operação de resgate

A morte de um militar experiente como Kunan evidencia a proporção dos riscos do resgate. O comandante Yookonghaew disse que empregará doses extras de cuidados com os meninos.

A maior preocupação das autoridades no momento é com a queda nos níveis de oxigênio dentro da caverna. Aliás, essa queda ocorreu justamente pela elevada quantidade de pessoas tentando auxiliar na operação no local.

Autoridades agora também procurarão instalar um cabo na caverna para oferecer um maior suprimento de oxigênio ao grupo.