Skip to content

O maior eclipse do século vai ser visto no Brasil. Saiba onde e como ver

(G1) O eclipse que ocorrerá por aqui ainda não é o tão aguardado eclipse solar total – algo que vai acontecer apenas no ano de 2045. Por enquanto, o fenômeno que teremos aqui é um eclipse da Lua (quando a Lua, o Sol e a Terra estão alinhados). Não é igualmente a versão solar do evento, assim como aquele que aconteceu em 2017 nos Estados Unidos, mas, de toda forma, teremos em solo brasileiro o eclipse mais longo de todo o século.

PUBLICIDADE

Dicas para observar o eclipse

  • O melhor lugar para observar o eclipse será Recife, capital do Estado de Pernambuco.
  • Ele será muito mais visível na faixa litorânea do Brasil.
  • Poderá ser observado a olho nu. No entanto, um binóculo pode ajudar e muito.
  • Locais mais abertos, com uma quantidade menor de luz e um horizonte livre são bem melhores para quem desejar apreciar o fenômeno.

Ele acontecerá na sexta-feira que vem, dia 27 de julho, ao final da tarde. Ele não é o que se poderia chamar propriamente de eclipse “brasileiro”. Esse eclipse lunar total poderá ser observado em todo o seu potencial no continente africano e na Europa. É nesses dois continentes que eles terão a capacidade de ver o eclipse no máximo. Ele vai durar 4 horas de e por conta disso é chamado de o mais longo de todo o século.

Apesar disso, é possível sim observar o fenômeno no Brasil. Quanto mais a leste do país você for, ficará melhor para poder assistir o eclipse lunar.

A explicação para o fato de Recife ser o melhor local para observar o eclipse lunar se dá pelo fato, de acordo com Gustavo Rojas, um astrofísico, de que a Lua vai nascer às 17h15, tendo em consideração que a etapa total finaliza às 18h13 minutos. A parcial vai terminar às 19h19. Obviamente que o eclipse já vai estar acontecendo antes, mas no restante do país a Lua não terá nascido ainda.

Infelizmente só será possível acompanhar de forma mais plena a parte parcial do fenômeno. Para aqueles que ficam sequiosos de ver o fenômeno em sua forma total vai precisar se deslocar para um lugar situado na costa brasileira e preferencialmente um campo aberto.

Foto mostra a Lua em diferentes fases durante um eclipse lunar total (Foto: P. Horálek/ESO)

Caso alguém não more ou não possa se dirigir ao litoral, vale a pena verificar o horário do nascimento da Lua em cada região e descobrir qual será a janela de tempo para poder apreciar.

PUBLICIDADE

Um ponto positivo sobre o eclipse lunar é que, ao contrário da versão solar, não é preciso usar um óculos especial para apreciar o fenômeno. Se for possível, é interessante obter um binóculo ou uma luneta, pois assim poder-se-á ver com mais clareza e nitidez.

Um detalhe importante é que a Lua será de sangue também – quando ela conquista um tom avermelhado – mas observaremos muito pouco desse detalhe do fenômeno, uma vez que isso fica muito mais visível na quando ele se encontra na fase total.

Será necessário ter que aguardar até o ano de 2019, que será quando teremos de fato um eclipse lunar total de forma “integral” no dia 21 de janeiro. Será um eclipse “brasileiro”.