Skip to content

Mais antiga receita de pão do mundo tem 14 mil anos, descobrem arqueólogos

(BBC NEWS) Pegue a farinha feita a partir do trigo e cevada selvagens, misture isso com raízes trituradas de plantas e ponha para assar.

PUBLICIDADE

De acordo com os pesquisadores, essa receita de pão acima é a receita do pão mais antigo de todo o mundo, dotada de mais de 14 mil anos.

Migalhas do pão encontrado foram analisadas com ajuda de microscópio. Crédito da imagem: Amaia Arranz-Otaegui

Sua forma para assar era muito similar com a de um pão achatado e o sabor semelhante ao do pão multigrãos da época atual.

Nossos antepassados mais remotos podem ter utilizado esse pão para poder enrolar a carne ao assá-la. Desse modo, ele também pode ter se caracterizado como o sanduíche mais antigo que se tem notícia.

“Essa é a primeira evidência que possuímos daquilo que poderíamos chamar de cozinha, com um produto misto de alimentos”, explica o professor Dorian Fuller, da UCL (University College London) para a BBC News.

“Eles possuem pão ázimo (sem fermento) e têm gazela assada e por aí vai e essas eram as coisas que eles estavam utilizando para fazer uma refeição”.

PUBLICIDADE

O pão tem integrado a nossa dieta básica, mas ainda não se sabe muito sobre as origens da panificação. Até o presente momento, a evidência mais antiga que se tinha de pão datava de 9 mil anos, encontrada na Turquia.

Contudo, um grupo de arqueólogos descobriram recentemente sinais de panificação efetuada há 14 mil anos atrás, em um sítio arqueológico no deserto negro situado na Jordânia.

De acordo com um relato publicado na revista científica PNAS, os cientistas descobriram dois edifícios, cada um deles portando uma enorme lareira de pedra circular no interior da qual foram encontradas migalhas de pão carbonizadas.

Após uma análise realizada com o auxílio de microscópio, as amostras de pão mostravam evidências de moagem, peneiramento e amassamento.

Amaia Arranz-Otaegui, doutorada da Universidade de Copenhague (Dinamarca), a responsável pela descoberta dos restos do pão, disse que essa era a última coisa que imaginavam encontrar no local.

“O pão é uma ligação poderosa entre nossas culturas alimentares passadas e presentes”, enuncia ela. “Isso nos conecta com nossos ancestrais pré-históricos.”

O alimento teria sido confeccionado em várias etapas, incluindo a moagem de cereais e tubérculos para a obtenção de farinha fina, a mistura da farinha com água para produzir massa e o ator de assar a massa nas cinzas quentes de uma lareira ou então uma pedra quente.

Coletores e caçadores

A população que vivia há 14 mil anos na área da Jordânia onde os restos de pão foram encontrados eram caçadores. Eles caçavam gazelas e animais de pequeno porte, como aves e lebres. Além disso, procuravam alimentos vegetais, como frutas, nozes e cereais silvestres.

Os cientistas acreditam que o pão foi produzido no momento em que as pessoas se reuniam para algum tipo de celebração. Isso ocorreu antes do advento da agricultura, que foi quando as pessoas começaram a cultivar cereais e a realizar criação de animais a fim de se alimentar.

Fuller afirma que “O significado deste pão é que ele evidencia o emprego de esforço adicional para a confecção de alimentos que possuam ingredientes misturados. E elaboram uma espécie de receita”.