Skip to content

Descoberto primeiro lago de água líquida em Marte

Pesquisadores da Itália anunciaram nessa quarta-feira, 25 de julho, que foram encontrados indícios da presença de água líquida no planeta Marte.

PUBLICIDADE

De acordo com dados coletados por um radar pertencente à Agência Especial Europeia (ESA), existe uma espécie de reservatório de água líquida situado abaixo de camadas de poeira e gelo na região polar sul do referido planeta.

Essa animadora descoberta traz consigo a chance de que se encontre vida no planeta, uma vez que a água é fundamental para a existência de organismos vivos. Os estudiosos buscam a muito tempo provar que existe água no estado líquido no planeta Marte.

A pesquisa dos cientistas, cuja maior parte está relacionada ao Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, foi publicada agora nessa quarta-feira, na renomada revista Science.

A confirmação científica sobre quais são as características desse líquido – por exemplo, se ele é doce ou salgado – pode demorar algum tempo, conforme enunciado pelo doutor em astronomia pela USP, Douglas Galante.

Ele falou que para conseguir isso, é necessário fazer uma perfuração no solo do planeta, perfuração em uma profundidade que ainda nós não estamos preparados.

PUBLICIDADE

“Só vamos poder ter certeza mesmo quando formos até Marte com uma sonda para poder perfurar e então mensurar”, disse Douglas Galante.

O trabalho foi realizado com o auxílio do radar da sonda Mars Express, que foi lançada no ano de 2003, que mensurou a quantidade de água contida na geleira. Os dados foram coletados entre a data de maio de 2012 e dezembro de 2015.

As missões seguintes até o planeta Marte, como a Mars 2020, precisarão efetuar perfurações, mas não serão capazes de alcançar esse novo reservatório descoberto.

A razão disso é que os instrumentos conseguem atingir apenas alguns metros de profundidade, e seria imprescindível chegar muito mais fundo do que eles conseguiriam sob as condições atuais.

Imprecisão sobre a profundidade

Outro ponto importante é que a pesquisa não determina  qual é a profundidade exata do reservatório de água. Isso quer dizer que os cientistas não conseguiram especificar se é espécie uma de lençol subterrâneo, algo similar a um aquífero ou somente uma camada de lodo.

Se for comparar-se com os lagos existentes no planeta Terra, esse lago em Marte é um lago pequeno, dotado de 20 quilômetros de diâmetro.

Contudo, os pesquisadores não foram capazes de conhecer a profundidade pois a água ameniza o sinal do radar, de acordo com o informado pelo astrônomo Roberto Orosei, o autor do estudo em questão, durante uma entrevista para a BBC.

Ainda segundo ele, mesmo nas expectativas mais pessimistas, eles acreditam que o possível volume de água existente no planeta vermelho pode chegar a ser de centenas de milhões de metros cúbicos.

Situado debaixo de uma camada de gelo em Marte, o lago é grande, possuindo algo em torno de 20 quilômetros de extensão. A descoberta levanta a possibilidade de que Marte seja mais favorável para conter vida do que os especialistas imaginavam, uma vez que essa é a primeira evidência de água líquida permanente já encontrada nesse planeta.

Isso sugere ainda que essa água existente em Marte não é um escoamento temporário, conforme havia sido revelado em descobertas prévias, mas sim um corpo de água duradouro que gera as condições para a vida durante períodos de tempo extensos.