Skip to content

Bebê com dois rostos e dois cérebros nasce na Indonésia

jul 26, 2018

(Por Daily Mail) Um bebê nasceu na Indonésia com dois rostos porque o seu irmão gêmeo conjunto não se desenvolveu de forma adequada no útero da mãe.

Gilang Andika, um bebê de 2 meses de idade, oriundo de Batam, uma cidade na Indonésia que fica cerca de 32 km por mar de Singapura, tem dois rostos e dois cérebros, porém apenas uma cabeça.

A complicação o deixou com uma aparência desfigurada, além de sofrer com uma condição cerebral potencialmente fatal, que está causando a formação de fluido.

PUBLICIDADE

Apesar de ele ter somente um corpo com dois braços e duas pernas, Gilang Andika é, em termos técnicos, um gêmeo conjunto – uma condição rara que afeta um em cada 250.000 nascimentos.

Na sua cabeça, ele possui o rosto e o cérebro de um irmão que não cresceu em seu próprio corpo no útero, pois o óvulo de sua mãe não se dividiu completamente em duas partes no decorrer da gravidez.

Seus pais, Ernilasari e Mustafa, agora querem desesperadamente ajudar a salvar a vida de seu filho, depois que médicos locais disseram que não podiam operar a criança.

PUBLICIDADE
Gilang Andika, bebê indonésio que nasceu com dois rostos e dois cérebros. Crédito da imagem: Daily Mail/Reprodução

Por causa de sua condição rara, Gilang não pode ser amamentado, então tem que ser alimentado com leite por meio de um tubo.

E os médicos disseram que provavelmente ele não viverá muito por causa de sua condição.

O pobre bebê também é portador de uma condição chamada hidrocefalia, que é ocasionada pelo acúmulo de líquido no cérebro.

Muitos bebês que nascem com hidrocefalia têm danos cerebrais de longo prazo, que podem causar problemas de aprendizado, problemas de fala, problemas de visão ou memória ou epilepsia.

A sua mãe Ernilasari e o seu pai Mustafa não sabiam nada a respeito da doença grave do filho até ele ter nascido, no caso dele por cesariana.

Os pais não possuem condições financeiras de bancar o tratamento do filho

Eles querem procurar tratamento para Gilang, porém eles não têm dinheiro algum, não possuem condições financeiras de pagar pelo tratamento do filho.

Nenden Ismawati, que cuida de Gilang no Hospital Awal Bros, na cidade de Batam, diz que é bastante improvável que os médicos consigam realizar uma cirurgia.

Ele disse à Kompas News: “Na verdade, sugerimos [cirurgia] a um dos hospitais em Jacarta que tem melhor equipamento do que o Hospital Awal Bros, mas também não significa que ele possa ser operado imediatamente, porque os médicos em Jacarta ainda estão discutindo o caso”.

Ernilasari, a mãe do bebê Gilang, afirma que não sentiu nada diferente na gravidez e nem os médicos descobriram nada sobre a condição.

Os médicos não perceberam o problema

Durante a gravidez, Ernilasari disse não sentir nada de estranho, e os médicos do Hospital Chamata Sahidiya Panbil não notaram o problema, apesar de terem sido realizadas três ultrassonografias diferentes.

“O médico acabou de dizer que a cabeça do bebê está aumentada e ele está em posição de culatra”, disse Ernilasari.

Agora os pais de Gilang estão desesperados para encontrar uma maneira de separar a cabeça de seus filhos, já que a anormalidade causou problemas de saúde para os pequenos.

Acredita-se que ele tenha um distúrbio chamado diprosopus, uma das mais raras deformidades em humanos, e que não sobrevive além do nascimento.

A condição é conhecida como duplicação craniofacial e faz com que parte ou toda a face seja cultivada duas vezes devido a um problema durante a divisão do óvulo no útero.

Curar Gilang provavelmente envolverá cirurgias arriscadas para remover um de seus cérebros e rostos e parte de seu crânio.