Skip to content

Adolescente iraniana é presa após vídeo dela no Instagram dançando em seu quarto

jovem irã dança insta

Uma adolescente iraniana foi presa por postar vídeos dela mesma dançando em seu quarto, no Instagram.

PUBLICIDADE

A garota, cujo nome é Maedeh Hojabri, uma ginasta que tem somente 18 anos de idade, confessou em uma transmissão de vídeo de uma TV estatal no Irã, na sexta-feira, que quebrou regras morais com essa ação.

Maedeh ganhou milhares de seguidores no Instagram com os vídeos de sua dança, ao som de música pop iraniana e Ocidental.

Apesar da referida declaração dada na TV, Hojabri aparece com o rosto desfocado, chorando e balançando a cabeça, descrevendo  as razões para ter produzido os vídeos.

Ela afirmou que não era sua intenção violar nenhum tipo de norma e que ela simplesmente apenas desejava conseguir conquistar mais seguidores. Disse ainda que não tinha intenção nenhuma de encorajar outros a fazerem o mesmo, que não trabalhava em conjunto com ninguém, que não recebia nenhum tipo de treino e que era meramente uma ginasta.

PUBLICIDADE

Contudo, ainda não há certeza se esta nova afirmação dela foi feita ou não sob coação de alguém.

Um site local de notícias chamado Shabooneh disse que Hojabri, que conseguiu atrair dezenas de milhares de seguidores em sua conta no Instagram, e mais três outras pessoas foram presas sob acusações similares nessas últimas semanas, depois de serem soltas sob o pagamento de fiança.

Maedeh Hojabri postou por volta de 300 vídeos em sua conta na rede social em questão. Em muitos desses vídeos é possível vê-la dançando no estilo ocidental e iraniano.

A adolescente também apareceu em alguns vídeos sem usar o seu hijab, que é obrigatório de acordo com as leis islâmicas do país.

Diversos usuários nas redes sociais compartilharam mensagens e vídeos apoiando a jovem dançarina, usando hashtags tais como “#dançar_não_é_um_crime”.

O blogueiro Hossein Ronaghi comentou: “Se você contar a pessoas de qualquer lugar do mundo que meninas de 17 e 18 anos são presas por causa de suas dança, felicidade e beleza sob a acusação de difundir a indecência, ao passo em que estupradores de crianças e outros estão livres, eles vão rir! Porque para eles isso é inacreditável!”.

A polícia iraniana já efetuou o bloqueio de acesso para várias páginas de rede sociais, incluindo Twitter, YouTube, Facebook e o aplicativo de mensagens instantâneas Telegram.

Entretanto, apesar dessas proibições, milhões de pessoas no Irã continuam a utilizar esses sites através de servidores proxy e VPNs.

O tal vídeo para a TV estatal iraniana onde Hojabri apareceu junto com outros jovens fazendo uma confissão, seria algo que eles foram forçados a fazer e seria igualmente uma estratégia frequentemente usada por autoridades iranianas, de acordo com a alegação de alguns ativistas.

Muito pouco se sabe sobre a vida pessoal de Maedeh Hojabri ou em qual cidade do Irã ela mora, mas desde que foi presa, seus vídeos tem sido compartilhado por centenas de pessoas, dando a ela um alcance para além de sua conta no Instagram.

O chefe da polícia cibernética do Irã, Touraj Kazemi, disse que suas forças estavam fazendo identificações e tomaria medidas contra as contas populares no Instagram.