Sociedade

Número de mortos do furacão da Flórida chega a pelo menos 27, além de computar centenas de desaparecidos

0

Reprodução/ REUTERS/Jonathan Bachman/File Photo

(Por REUTERS)

Equipes de resgate vasculharam áreas devastadas na região de Panhandle, na Flórida, na terça-feira, para centenas de pessoas terem desaparecido quase uma semana depois que o furacão Michael destruiu comunidades na região e matou pelo menos 27 pessoas.

Reprodução/ REUTERS/Jonathan Bachman/File Photo

Matthew Marchetti, co-fundador da CrowdSource Rescue, sediada em Houston, que tinha centenas de voluntários no local, disse que espera que o número de mortes aumente à medida que o serviço telefônico seja restaurado e as estradas sejam liberadas.

“Para cada pessoa com quem fizemos contato, provavelmente há três que não temos nenhum”, disse Marchetti.

Equipes da organização de voluntários estavam procurando por mais de 1.135 pessoas na Flórida que perderam contato com amigos e familiares, disse ele.

As autoridades da Flórida não deram um número para quantas pessoas são consideradas desaparecidas.

Detritos, árvores derrubadas e linhas de energia impediram o acesso a pessoas em dificuldades, mas a CrowdSource informou que vários de seus relatórios de pessoas desaparecidas resultaram de indisponibilidade generalizada de telefones e energia.

O número de mortos inclui 17 na Flórida, um na Geórgia, três na Carolina do Norte e seis na Virgínia, de acordo com uma contagem de relatórios oficiais da Reuters. As autoridades disseram que os médicos legistas estavam determinando se outras quatro mortes na Flórida se deviam à tempestade.

Michael bateu na costa noroeste da Flórida na última quarta-feira com ventos de 250 km por hora, desencadeando uma onda de água do mar que destruiu casas.

Na praia do México, que teve um impacto direto, alguns moradores que voltaram para pesquisar os danos fizeram algumas descobertas surpreendentes.

A tempestade empurrou o último andar da casa de férias de Charles e Janice Anderson a centenas de metros de sua fundação – com a sala de estar intacta e um marlim empalhado ainda pendurado na parede.

A maioria dos desaparecidos é da Cidade do Panamá e muitos são idosos, incapacitados, empobrecidos ou vivem sozinhos, disse Marchetti.

“Os mais atingidos em desastres são geralmente nossas populações mais vulneráveis”, disse ele.

Na vizinha Praia do México, o número de desaparecidos caiu para três na terça-feira, disse Rex Putnal, vereador da cidade. Um dia antes, eram mais de 30. A cidade de 1.200 moradores havia registrado duas mortes na segunda-feira.

“É milagroso se tudo o que temos são duas fatalidades”, disse o prefeito da Cidade do México, Al Cathey.

Quase 190 mil residências e empresas permaneceram sem energia no sudeste dos EUA, com moradores de cidades costeiras maltratadas obrigadas a cozinhar em fogueiras e churrasqueiras.

Pelo menos 80 por cento dos clientes em três municípios principalmente rurais de Panhandle ficaram sem eletricidade na terça-feira. Autoridades disseram que pode levar semanas até que o poder retorne a alguns.

Inúmeros outros no sertão da região lutaram por dias sem água corrente ou saneamento, aguardando ajuda das autoridades. Alguns acampam em tendas com os pertences que conseguiram salvar.

O governo do estado está distribuindo gelo, água e cerca de 3 milhões de refeições prontas, disse o escritório do governador Rick Scott.

Marchetti disse que a busca foi dificultada pela cobertura irregular de telefones celulares na área devastada, embora as autoridades estejam fazendo progressos na restauração das comunicações.

Muitos moradores também expressaram frustração com o ritmo lento da recuperação de redes sem fio. O presidente da Comissão Federal de Comunicações, Ajit Pai, pediu na terça-feira que as operadoras de telefonia móvel renunciem às contas dos clientes afetados pela tempestade.

Danieli Mennitti
Possuo graduação e mestrado em História pela UNESP. Faço parte da equipe de redação do portal Resumo. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Interesso-me e escrevo sobre os mais variados assuntos.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Sociedade