Skip to content

Famílias separadas pela guerra nas Coreias irão se encontrar em agosto

jun 22, 2018
encontro familias coreia sul coreia norte agosto

Após meses de negociações, uma ótima notícia para as famílias coreanas que acabaram sendo separadas em 1950, ambas as Coreias concordaram nesta sexta-feira (22 de junho) após uma reunião oficial, em realizar encontros temporários das famílias que foram separadas uma das outras após a Guerra das Coreias, que aconteceu entre 1950 e 1953.

O encontro oficial irá ocorrer no próximo mês de agosto, entre o período do dia 20 ao 26.

A informação foi divulgada através do Ministério de Unificação de Seul, após mais de nove horas de reuniões entre os governos da Coreia do Norte e Coreia do Sul, juntamente com a delegação oficial da Cruz Vermelha de cada país.

PUBLICIDADE

Onde serão realizados os encontros?

Pela primeira vez os encontro serão realizados em um resort localizado em Diamond Mountain, na própria Coreia do Norte, onde cada país será responsável por enviar cem pessoas. As duzentas pessoas terão de 20 a 26 de agosto para celebrar a união e então deverão retornar para as suas residências.

A separação

Há quase 70 anos, milhares de coreanos foram separados de suas famílias, decorrente do conflito que acabou transformando a península coreana em Coreia do Sul e Coreia do Norte. Muitas pessoas sequer conseguiram rever seus parentes ou obter notícias dos familiares, pois neste período vieram a falecer.

Após a guerra, todas as comunicações entre os civis na fronteira determinada para separar as Coreias foram suspensas e a lei é seguida até os dias de hoje.

PUBLICIDADE

Das milhares de pessoas que foram separadas durante a guerra, apenas 57 mil foram registradas pela Cruz Vermelha da Coreia do Sul, com a intenção de rever os parentes estão vivas. E uma grande porcentagem dos inscritos contam com idade superior aos 70 anos.

A reunião entre as famílias

A possibilidade de realizar o encontro entre as famílias separadas pela guerra foi um dos temas abordados na cúpula que ocorreu no final do mês de abril de 2018, entre os líderes coreanos Kim Jong Un (Coreia do Norte) e Moon Jae-in (Coreia do Norte). Ambos concordaram com este tema, o que deu início as negociações para que ele venha a ser executado.

A última reunião entre os líderes ocorreu em 2015 e não trouxe nenhum ponto positivo ou que fosse executado até a presente data.

De tempos em tempos ocorriam alguns encontros, algo que vem sendo feito desde 2000 quando após 50 anos da guerra que dividiu a península, houve uma primeira reunião histórica entre os líderes coreanos.

Após esta primeira, todos os anos uma nova reunião era realizada, porém na última década eles acabaram sendo cada vez mais raros, por conta da tensão que acabou sendo criada na península.

Após Trump assumir o governo americano, o clima acabou ficando ainda mais tenso, sendo canceladas quaisquer chances de reuniões. Porém após algum tempo de discussão e duras sanções econômicas emitidas pelos Estados Unidos, pelo bem da Coreia do Norte, o líder Kim Jong Un pensando em seu povo, acabou aceitando que o melhor caminho para tornar a Coreia do Norte um local melhor, seria estar disposto a conversar com o presidente sul-coreano e também o líder americano Donald Trump.

Foi assim que no último dia 12 de junho aconteceu o encontro histórico entre Donald Trump e Kim Jong-un em Singapura. O encontro rendeu alguns bons acordos iniciais e a reunião entre as famílias coreanas são uma das consequências.