Skip to content

Doença sexual conhecida como MG preocupa médicos por ser resistente a antibióticos

jul 16, 2018
superbacterias mycoplasma genitalium

Uma doença sexualmente transmissível vem preocupando os médicos pelo mundo, principalmente os europeus. A infecção que ainda é pouco conhecida é capaz de se transformar em uma superbactéria resistente aos diferentes tipos de tratamentos por antibióticos conhecido no mundo.

A MG, Mycoplasma genitalium é uma doença sexualmente transmissível que está em estado alarmante no Reino Unido. As autoridades locais vem trabalhando para que os casos não se espalhem e venha a trazer consequências gravíssimas para a sociedade.

Entre as principais medidas está o estímulo no uso de camisinha e também na identificação e tratamento desta doença com uma eficácia maior.

Mycoplasma genitalium

A doença conhecida como MG é nada menos do que uma bactéria que pode ser transmitida como outras doenças sexualmente transmissíveis, através do contato com parceiros que possam estar contaminados.

Em mulheres esta bactéria pode inflamar os órgãos reprodutivos, como o útero e as trompas. Além da dor local, ela também pode ocasionar sangramentos, febre e chegam até causar infertilidade.

Já em homens ela causar a inflamação do canal da uretra, causando muita dor no local, além da dificuldade para urinar.

Porém há casos que o contágio não apresenta nenhum sintoma, por isso é preciso estar atento e sempre realizar o uso de camisinha quando for ter alguma relação sexual.

Casos no mundo

A bactéria Mycoplasma genitalium está difundida principalmente na Europa, porém o Ministério da Saúde diz que está monitorando a bactéria pelo fato dela ser resistente a antibióticos e pelo aumento de casos nos últimos meses por diversas regiões fora do Brasil.

No Brasil pode ser que já hajam casos da MG, porém a infecção não é notificada pois como ela não está em “evidência” as secretarias de saúde dos municípios e estados ainda não são obrigadas a informar sobre os casos. Assim fica impossível divulgar dados sobre a doença no país.

Mas segundo o Ministério da Saúde, os casos da MG são extremamente inferiores a outros agentes infecciosos como a gonorreia e clamídia, que são os casos mais comuns no país. Estas doenças quando não tratadas da forma correta, também podem trazer problemas semelhantes ao da MG, inclusive levando a infertilidade.

Mas no Reino Unido a doença preocupa pois as taxas de erradicação após o tratamento com antibióticos macrolídeos estão cada vez menores. Em boa parte do caso a resistência da bactéria contra estes antibióticos está em 40% em todo o país. Mas relatos informam que o antibiótico azitromicina em boa parte dos casos ainda funciona, mas não são todos.

Casos do Reino Unido

Por se tratar de uma situação alarmante, a saúde local tem avançado em suas pesquisas, onde é possível identificar a bactéria através de testes.

Segundo especialistas britânicos em DSTs é necessário que as pessoas passem a tomar precauções para evitar este e diversos outros tipos de infecções.

É necessário um conhecimento maior sobre a Mycoplasma genitalium e que o uso de camisinhas seja realmente efetivo.

A realidade brasileira é bem diferente da britânica, porém é necessário tomar todas as precauções disponíveis contra essa e outras doenças sexualmente transmissíveis, onde camisinhas masculinas e femininas são fornecidas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde).