Skip to content

Crianças imigrantes ficam “enjauladas” nos Estados Unidos

Desde a implementação de uma política de “tolerância zero” a respeito da imigração, imposta pelo presidente americano Donald Trump,  uma série de polêmicas vêm se apresentado, causando indignação contra os Estados Unidos, em diversas partes do mundo.

PUBLICIDADE

A mais recente polêmica foi a notícia de que o governo americano tem mantido crianças, filhos de imigrantes ilegais, presos em uma espécie de “jaula”, separados de seus pais.

Um grupo de jornalistas, acompanhando de alguns congressistas americanos em uma visita parlamentar, foi até um centro de detenção no Texas. Peter Welch, um congressista do Partido Democrata disse que o local se assemelhava a uma prisão.

A referida instalação situada no Texas é chamada de Ursula. No entanto, os imigrantes costumam chamá-la de “La Perrera” (que traduzindo livremente seria O Canil).

As ditas gaiolas são instaladas no local para manter imigrantes adultos retidos. Porém agora essa mesma construção tem sido utilizada para abrigar crianças que foram separadas dos seus pais durante a  tentativa mal sucedida de atravessar a fronteira com os Estados Unidos de forma ilegal.

As respectivas autoridades que cuidam do local não permitiram que fossem feitos qualquer tipo de registro, fossem vídeos ou fotos. Todavia, o próprio Departamento de Alfândega americano efetuou a publicação de várias imagens.

PUBLICIDADE

“Jaulas” fechadas

Além do congressista Peter Welch, outra figura importante da política americana se manifestou sobre o assunto. Laura Bush, ex-primeira dama, esposa do ex-presidente George Bush, disse que a instalação se assemelha ao campo de detenção usado pelo país na época da Segunda Guerra Mundial para manter os japoneses presos.

O número de crianças nas tais gaiolas chegam a 20. Uma agência americana afirmou que havia uma parca comida, algumas garrafas de água e folhas que eram utilizadas como cobertores.

Além disso, as gaiolas, feitas de arame, ficam completamente trancadas, com cadeados, apertadas e amontoadas uma sobre as outras, completamente separadas de seus pais, conforme afirma o senador Chris Van Hollen.

O piso sobre o qual essas gaiolas estão instaladas é de concreto. No local, há aproximadamente 42 banheiros químicos, limpos diariamente, assim como o restante do lugar.

As crianças brasileiras detidas no abrigo

De acordo com dados mostrados pelo consulado brasileiro em Houston, há pelo menos 49 crianças brasileiras em uma condição de imigrante ilegal, espalhados por abrigos em diferentes pontos dos Estados Unidos.

Essas crianças brasileiras, assim como as crianças imigrantes de outros países, estão nesses abrigos separadas de seus pais pelo fato dos mesmos estarem em prisões federais, a fim de responderem processo criminal por conta da política intolerante quanto à imigração, implementada pelo governo de Trump.

As crianças possuem idades que variam de 5 a 17 anos. Entretanto, o governo brasileiro não preencheu os dados das crianças. O governo brasileiro está buscando descobrir tais informações.

Alguns ativistas de causas sociais que um número superior a 2 mil crianças estariam nessas “jaulas”, sem qualquer assistência de nenhum adulto.

Devido a uma série de críticas e pressões internacionais durante as últimas semanas, decidiu revogar a decisão que determinava a separação das famílias. Elas agora devem ficar juntas até o final do processo.