O Uber é uma empresa de transporte urbano que pode ser acessado por um aplicativo. Foi banido em muitas cidades da Europa e por isso, está prestes a lançar um serviço de compartilhamento de bicicletas elétricas JUMP na Alemanha. A sua busca é pela diversificação e a construção de laços com essas autoridades locais.

O anúncio

Quem fez esse anúncio foi o presidente-executivo da empresa, o Dara Khosrowshahi, numa conferência em Berlim, enquanto isso, milhares de taxistas da Alemanha do lado de fora acenavam em suas mãos com cartazes que dizia: ´´ Uber vá para casa“.

As palavras do presidente

O presidente do Uber reforçou um profundo compromisso com a Alemanha e chegou ao palco montado em uma bicicleta vermelha JUMP, muito brilhante e ainda disse que a Alemanha é um pequeno sinal em se falando do que o novo Uber pode ser. Queremos trabalhar com os governos locais e nas cidades para fazer esse modelo funcionar.

A situação difícil enfrentada pelo Uber

Na Europa o Uber enfrentou uma situação um tanto difícil, em que houve protestos de taxistas que eram tradicionais e se tornaram muito violentos no passado, as restrições judiciais obrigaram a empresa Uber a encerrar alguns de seus serviços, em países como Alemanha, França, Itália, Espanha e Bélgica. Depois disso tudo, o Uber também foi acusado de causar congestionamento em grandes cidades como Londres.

A compra da startup JUMP

A startup JUMP foi comprada pelo Uber e isso faz parte de uma ofensiva para que se possa tornar o maior aplicativo para transporte urbano, seja de ônibus, bicicletas e carros ou até mesmo os trens, isso permite que as pessoas reservem suas viagens através de uma grande variedade de serviços por esse aplicativo.

A JUMP em São Francisco

Esse serviço de compartilhamento de bicicletas elétricas já foi lançado em São Francisco, com 250 bicicletas em Washington. Esse serviço integrado com a JUMP e o aplicativo Uber, faz com que seus usuários possam encontrar uma dessas bicicletas por meio do aplicativo do Uber.

O acordo

O acordo entre a JUMP e o aplicativo avança numa maneira mais rápida e bem mais acessível para se chegar aonde você quiser, por meio de um Uber ou de uma bicicleta, no metrô, por exemplo.

A empolgação da JUMP

A JUMP está muito empolgada em começar esse próximo capítulo em sua história, juntamente com o aplicativo Uber e terá a capacidade de ajudar na substituição de milhares de carros por bicicletas, disse Ryan Rzepecki, o presidente-executivo da Jump.

Como começou a JUMP até os dias de hoje

Seu início se deu em 2010, com sua sede na cidade de Nova York, na época era Social Bicycles, o tempo passou nos últimos 8 anos de vendas de bicicletas até a operação de suas frotas. Todas as suas bicicletas são bloqueadas ou desbloqueadas por meio do uso de um aplicativo em smartphone. Nesse serviço não se usa estações e essas bicicletas poderão ser deixadas em qualquer bicicletário e a sua localização se dará por rastreamento via GPS.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here