Skip to content

Novo caso de envenenamento faz Reino Unido exigir explicações da Rússia

Recentemente foi registrado no Reino Unido um novo caso de envenenamento, mais especificamente na cidade de Amesbury, situada no sul da Inglaterra. O novo registro de crime por envenenamento por Novichok instigou Sajid David, o então secretário britânico do Interior, a exigir da Rússia que explique esse e outros casos similares.

PUBLICIDADE

O primeiro e também mais conhecido caso aconteceu com um ex-espião russo, Sergei Skripal e sua filha Yulia, na cidade de Salisbury, em março desse ano. Além deles dois, foram descobertas mais duas vítimas que sofreram um ataque com esse mesmo agente químico.

Saiba o que é Novichok

O nome Novichok é uma palavra russa cujo significado é “novato”. Ela diz respeito a um determinado conjunto de substâncias neurotóxicas elaboradas pela União Soviética entre os anos 1970 e 1980.

Elas eram classificadas como sendo uma espécie de arma química de quarta geração, sendo desenvolvidas dentro de um programa soviético chamado de Foliant.

Sua toxicidade é bastante elevada, mais até mesmo do que substâncias tais como o VX e o Sarin. Além disso tudo, o Novichok é bem difícil de identificar.

Novo ataque por Novichok registrado

No sábado dia 30/06, Charlie Rowley e Dawn Sturgess, ambos respectivamente com 45 e 44 anos de idade, receberam socorro em sua residência, em Amesbury, que é próxima de Salisbury, onde Sergei e Yulia, com 67 e 33 anos respectivamente, foram envenenados.

PUBLICIDADE

O casal que também foi envenenado estão internados em estado grave, no mesmo hospital onde Sergei e Yulia ganharam tratamento.

De acordo com a polícia britânica, o casal não era necessariamente o foco prioritário da ação, mas o acontecimento está intimamente ligado ao ataque contra Sergei. O agente químico utilizado em ambos as ocorrências de envenenamento são pertencentes ao mesmo tipo, ainda que não façam parte de um mesmo lote.

O secretário britânico declarou “É totalmente inadmissível que nossa população seja um alvo intencional ou acidental, ou ainda que nossas ruas, monumentos e cidades acabem se tornando verdadeiros repositórios de venenos. Este é o momento do estado russo dar as caras e começar a dar explicações sobre esse ocorrido”, em diálogo com outros parlamentares europeus na manhã de hoje.

Um número superior a 100 agentes que agem contra o terrorismo em território britânico estão efetuando um trabalho em conjunto com a polícia de Wiltshire, que é a encarregada atual das investigações.

Rússia reage as declarações e exigências de explicações

O ministro Ben Wallace, da Segurança, também demandou que a Rússia explicando em detalhes esses acontecimentos, falando o que realmente houve, qual o papel dela nisso e estarem abertos a questionamentos.

O governo russo esboçou uma reação e disse que a capital inglesa jamais quis de fato empreender esforços conjuntos de investigação a respeito do envenenamento de Sergei Skripal e sua filha.

De acordo com o porta voz russo Dmitri Peskov, o governo não tem nenhum tipo de dado ou informação a respeito da substância utilizada e nem mesmo sobre a forma com que ela foi usada. Ele salientou ainda que o governo está preocupado com a recorrência dos usos desse agente.