Politica

Guerra da Coreia deve ser declarada oficialmente terminada após 65 anos, depois da histórica cúpula entre o Norte e o Sul

0

Reprodução/The Independente UK

(Por The Independent UK) A Guerra da Coréia será formalmente declarada como extinta depois de 65 anos, segundo o Norte e o Sul.

Em uma cúpula histórica entre os líderes Kim Jong-Un e Moon Jae-in, os países vizinhos concordaram que trabalharão pela paz na península com o fim formal do conflito que será anunciado ainda este ano.

Reprodução/The Independente UK

A dupla concordou em reunir os dois países e estabelecer uma “zona de paz” na fronteira impugnada.

A guerra começou em 1950 e a maioria dos combates chegou ao fim com um armistício três anos depois. Mas a paz nunca foi oficialmente declarada e os dois países estão oficialmente em guerra desde então.

Em sua primeira cúpula em mais de uma década, os dois lados anunciaram que buscariam um acordo para estabelecer a paz “permanente” e “sólida” na península.

“Os dois líderes declaram perante o nosso povo de 80 milhões e o mundo inteiro não haverá mais guerra na península coreana e uma nova era de paz começou”, disse a declaração oficial.

A declaração incluiu promessas de redução militar de armas, cessar “atos hostis”, transformar sua fronteira fortificada em “zona de paz” e buscar negociações multilaterais com outros países, como os Estados Unidos.

O líder norte-coreano Kim e o presidente sul-coreano Moon anunciaram na sexta-feira que as Coreias vão pressionar por negociações de três vias, incluindo Washington, ou negociações que incluam Pequim na conversão do armistício em um tratado de paz e estabelecimento de paz permanente na a península coreana.

As Coreias disseram esperar que as partes possam declarar o fim oficial da guerra até o final deste ano. O presidente da Coréia do Sul, Moon Jae-in, visitará Pyongyang em algum momento neste outono, embora não esteja claro se esse evento incluirá o fim oficial da guerra.

Embora o presidente Donald Trump tenha dado sua “bênção” para as Coreias discutirem o fim da guerra, não pode haver uma solução real sem o envolvimento de Washington e outros partidos que lutaram na guerra porque a Coréia do Sul não era signatária direta o armistício que parou a luta.

O anúncio veio em meio a um clima amistoso enquanto o líder norte-coreano Kim Jong-un se encontrava na fronteira. Foi a primeira vez que um líder norte-coreano entrou no solo sul-coreano desde o início da Guerra da Coréia.

Lembrando a cúpula

O encontro histórico entre Kim Jong-un e Moon Jae-in, na fronteira entre seus países, foi recheado de piadas e, pelo menos, um momento aparentemente imprevisto.

O Sr. Kim brincou durante a cúpula que ele não iria mais interromper o sono da sua contraparte com testes de mísseis no início da manhã, enquanto os dois líderes realizavam conversas sobre desnuclearização e outras questões em Panmunjom, na zona desmilitarizada.

A travessia pré-planejada do norte-coreano para o sul foi histórica – a primeira de um líder de regime em mais de meio século -, mas foi o passo não planejado de Moon sobre a fronteira, que surpreendeu os observadores.

Quando a dupla apertou as mãos no lado sul, o Sr. Moon perguntou ao Sr. Kim: “Você cruzou para o sul, mas quando eu vou atravessar?”

As imagens da reunião mostraram sua reação hesitante quando o líder norte-coreano respondeu: “Por que não atravessamos agora?”

De mãos dadas, entraram rapidamente na Coréia do Norte antes de seguirem para o sul pouco depois das 9h30, hora local.

Danieli Mennitti
Possuo graduação e mestrado em História pela UNESP. Faço parte da equipe de redação do portal Resumo. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Interesso-me e escrevo sobre os mais variados assuntos.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Politica