Skip to content
PUBLICIDADE

Polícia decide ouvir depoimento ‘chave’ sobre morte do menino Henry

PUBLICIDADE

A polícia civil do Rio de Janeiro se prepara para ouvir o depoimento de uma das pessoas que pode trazer respostas aos mistérios acerca da morte do menino Henry. O legista responsável pela necropsia do corpo do menino deve ser ouvido em breve e esse pode ser um depoimento chave.

As investigações tentam elucidar o que teria acontecido na madrugada do dia 08, quando Henry foi levado as pressas, já sem vida, ao hospital Barra D’Or, no Rio de Janeiro. Para a polícia, existem inconsistências no caso.

A mãe e o padrasto do menino, Monique Medeiros e o vereador Jairo, alegam que o menino tenha sofrido uma queda, um acidente doméstico, durante a noite. No entanto, de acordo com os laudos, essa seria uma via explicativa incompatível com as lesões encontradas no menino.

PUBLICIDADE

Henry estava bem e saudável quando foi devolvido a mãe, pelo pai. O engenheiro Leniel Borel havia passado o fim de semana com o menino e relata que o filho não queria voltar para a casa da mãe.

A polícia ainda espera ouvir novos depoimentos, inclusive das pessoas que viram por último Henry com vida. Vídeos feitos por câmeras de segurança mostram o menino bem, brincando na companhia do pai, antes de voltar para a casa da mãe.

PUBLICIDADE

Quem registrou o boletim pela morte do menino foi Leniel Borel, após ter sido orientado pela equipe médica a denunciar o caso, porque as lesões observadas em Henry eram suspeitas.