Notícias

Mulher realiza ataque suicida explosivo em Tunis, ferindo 15 pessoas, incluindo 10 policiais

0

Reprodução/ REUTERS/Zoubeir Souissi

(Por REUTERS)

Uma mulher se explodiu no centro da capital da Tunísia na segunda-feira, ferindo 15 pessoas, incluindo 10 policiais, em uma explosão que quebra um período de calmaria depois que dezenas de pessoas morreram em ataques de militantes três anos atrás.

Reprodução/ REUTERS/Zoubeir Souissi

Testemunhas disseram que a explosão aconteceu na avenida central de Túnis, a Habib Bourguiba. Centenas de policiais cercaram uma área perto do histórico Teatro Municipal e da embaixada da França, enquanto ambulâncias evacuavam os feridos.

“Eu estava em frente ao teatro e ouvi uma enorme explosão”, disse Mohamed Ekbal bin Rajib à Reuters.

A segurança melhorou desde que as autoridades impuseram um estado de emergência em novembro de 2015, após ataques a alvos turísticos que assustaram turistas e investidores, agravando uma crise econômica causada por um déficit crônico.

“Nós pensamos que havíamos eliminado o terrorismo, mas esperamos que o terrorismo não nos derrubará, especialmente com o mau clima político na Tunísia agora”, disse o presidente Beji Caid Essebsi.

As lojas estavam fechadas na movimentada avenida que foi palco de protestos que derrubaram o antigo líder Zine El-Abidine Ben Ali no início da “Primavera Árabe” de 2011.

O homem-bomba, de 30 anos, não tinha antecedentes conhecidos de militantes, disse o Ministério do Interior. A mídia local deu seu nome como Mouna.

“A mulher deixou sua cidade há três dias e disse à sua família que estava indo à capital para procurar trabalho”, disse Walid Hkima, funcionário do Ministério do Interior. Ela tinha diploma universitário em inglês e era da província costeira de Mahdia, ele disse.

Nenhum turista foi ferido, disse uma fonte de segurança.

Em 2015, 21 pessoas foram mortas durante um cerco de reféns em seu museu nacional, o Bardo em Túnis, e um atirador matou 38 pessoas em uma praia do resort. No ano seguinte, militantes tentaram capturar a cidade de Ben Guerdane, perto da fronteira com a Líbia.

Não houve ataques nessa escala desde então, mas a economia continua em dificuldades e as autoridades estão preocupadas com a presença de militantes na vizinha Líbia.

A Tunísia é uma das poucas democracias árabes e o único país a se desfazer de um autocrata de longa data durante a Primavera Árabe, sem provocar grande agitação ou guerra civil.

Acredita-se por sua transição democrática, suas eleições livres e a garantia dos direitos fundamentais em sua nova constituição.

Cerca de 3 mil tunisianos juntaram-se ao Estado Islâmico e outros grupos jihadistas no Iraque, na Síria e na vizinha Líbia, enquanto a dissensão em torno do desemprego aumentou nos últimos anos nas áreas sul e central.

Danieli Mennitti
Possuo graduação e mestrado em História pela UNESP. Faço parte da equipe de redação do portal Resumo. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Interesso-me e escrevo sobre os mais variados assuntos.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Notícias