Skip to content

MP afirma que Flordelis já havia tentado matar o marido outras vezes antes: 2 vezes com matador e 6 vezes por envenenamento

Hoje, segunda-feira (24), o caso da morte de Anderson do Carmo, pastor morto a tiros em junho de 2019, ganhou um novo capítulo. Flordelis, ex-esposa do religioso, foi formalmente apontada como mandante do crime, enquanto cinco filhos e uma neta da deputada acabaram presos.

PUBLICIDADE

Para a Polícia Civil e o Ministério Público, que conduzem as investigações, não sobram dúvidas de que a deputada tenha encomendado o crime contra o então marido. Os órgãos alegam ainda que o crime foi orquestrado por pelo menos um ano.

O delegado Allan Duarte alega ainda que Flordelis teria comprado a arma do crime e ocultado provas, além de ter fornecido as informações necessárias para que o executor do crime soubesse os horários de Anderson.

De acordo com a PC, no ano anterior a morte do pastor, houveram pelo menos 6 tentativas de envenenamento contra Anderson do Carmo. Outras duas tentativas de atentados a tiros também foram orquestradas, mas não foram concretizadas.

Flordelis não foi presa pela posição de deputada que ocupa, mas responde por organização criminosa, falsidade ideológica, tentativa de homicídio e homicídio qualificado. Até o momento, 10 pessoas foram presas por suspeita de envolvimento nos crimes.

Na denúncia, os investigadores apontam que o crime foi motivado pelo controle das finanças desempenhado por Anderson. A denúncia aponta ainda que o pastor impedia que houvessem privilégios para aqueles mais próximos de Flordelis. Os dois eram pais afetivos de dezenas de filhos.

PUBLICIDADE