Skip to content

Ministério do trabalho é assaltado e tem salas reviradas

ministerio trabalho invadido

Ao chegarem para no Ministério do Trabalho na manhã desta segunda-feira (16 de julho), os servidores públicos se depararam com várias salas do prédio oficial totalmente reviradas. Vários documentos de suma importância estavam espalhados pelo chão e a polícia foi acionada imediatamente.

PUBLICIDADE

Segundo a assessoria de imprensa, a informação é de que pelo menos duas do setor que cuida dos casos do seguro desemprego foram reviradas e até esta hora não se sabe ao certo o que foi levado pelos invasores.

Câmeras de segurança

Como todos os prédios oficiais, há diversas câmeras espalhadas e segundo o Ministério do Trabalho, toda a ação do bandido foi gravada pelas câmeras e todos os arquivos estão sendo encaminhados imediatamente para a área de perícias da Polícia Federal.

Segundo informações, dentro do prédio, pelo menos o que foi apurado até o momento, apenas um homem aparece nas imagens forçando uma das portas do órgão na madrugada de ontem para hoje. Porém não é possível afirmar que não existiam outros pelo lado de fora ou em outras áreas do local.

PUBLICIDADE

A Polícia Federal chegou no ministério às 9h50 e todo o primeiro andar do prédio foi isolado para que as investigações fossem iniciadas.

Isolamento do prédio do MT

Após ter todo o primeiro andar isolado, os servidores que chegaram para trabalhar nesta segunda-feira, foram então encaminhados para o térreo e o expediente de trabalho segue “normalmente”.

PUBLICIDADE

Até o momento os agentes da Polícia Federal estão realizando a perícia de todas as áreas que foram isoladas pelos seguranças do ministério, inclusive com a possibilidade da utilização de um andaime para que as impressões digitais do andar pelo lado de fora possam ser avaliadas.

Queima de arquivos?

A PF realiza suas investigações e não informou o que será realmente avaliado. O caso pode ser “apenas” uma invasão sem outras finalidades a não ser aquisição de bens materiais, como também pode ser uma ocultação de documentos, pois o Ministério do Trabalho é alvo de uma investigação da Polícia Federal através da operação Registro Espúrio.

Nesta operação que foi deflagrada a partir do dia 30 de junho, a PF pretendem desarticular uma suposta organização criminosa que está integrada por servidores públicos e políticos, na qual há evidências do cometimento de fraudes nos registros de sindicados que são avaliados pelo Ministério do Trabalho.

A investigação da Polícia Federal, ao menos o que foi divulgado, investiga as prioridades dadas a pedidos efetuados por políticos, os registros de entidades sindicais no ministério através do pagamento de propinas, a ordem dos pedidos que não eram seguidas conforme a sua chegada e também a concessão de cargos dentro do Ministério para os partidos Solidariedade e PTB em grande massa, podendo também ser caracterizado como “troca de favores”.

Todas as possibilidades estão sendo avaliadas neste caso.