Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry – Polícia intima psicóloga do garoto e detalhes sórdidos da convivência dele com Jairinho podem ser expostos

PUBLICIDADE

O que aconteceu com Henry na madrugada do último dia 8 de março, no apartamento que ele morava com a mãe Monique e o padrasto Jairinho?

O vereador e a mãe de Henry afirmam que encontraram o garoto caído no chão, inconsciente e o levaram de imediato para um hospital na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, onde ele deu entrada já sem vida.

Muitos mistérios cercam a morte do garoto de apenas 4 anos de idade e a Polícia Civil do Rio de Janeiro quer ouvir a psicóloga que estava fazendo o acompanhamento terapêutico de Henry Borel desde o começo do último mês de fevereiro.

PUBLICIDADE

Um mês antes de morrer de maneira violenta, conforme indica os laudos do Instituto Médico Legal (IML), Henry foi levado pela mãe até a psicóloga para que o ajudasse o garoto e a família nesta nova etapa, já que Monique havia se separado do pai do garoto e após 4 meses passou a morar com o namorado, o vereador Dr. Jairinho.

Henry teve pelo menos cinco sessões com a psicóloga, a polícia quer saber se a profissional percebeu algo de estranho no comportamento da criança.

PUBLICIDADE

No último domingo 7 de março, poucas horas antes de ser encontrado morto, Leniel deixou o filho com Monique após passar fim de semana com ele. O pai de Henry afirmou que o garoto não queria voltar para casa, estava nervoso e chorando.

Monique confirmou que Henry chorava e chegou a vomitar, para tentar acalmar o filho ela foi com ele até uma padaria próxima para comprar guloseimas.

A psicóloga deve prestar depoimento nos próximos dias.

PUBLICIDADE