Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: Polícia fecha o cerco e descarta morte por acidente doméstico, apontada pela mãe

PUBLICIDADE

O caso do menino Henry Borel continua a gerar uma grande repercussão no Brasil. O menino de apenas 4 anos de idade morreu enquanto ainda estava no apartamento de sua mãe, Monique Medeiros, e de seu padrasto, Jairo Souza, o vereador e médico que é também conhecido como Dr. Jairinho.

As autoridades estão tentando entender o que aconteceu no dia da morte de Henry Borel. O menino chegou já sem os seus sinais vitais na unidade de saúde. Além disso, um laudo foi realizado pelo IML (Instituto Médico Legal) e apontou diversas fraturas gravíssimas em seu corpo. A causa da morte foi hemorragia interna.

Com o andamento das investigações, testemunhas foram ouvidas, quebras de sigilos aconteceram, mandatos de apreensão foram cumpridos e uma nova perícia foi realizada dentro do apartamento em que Henry passou os seus últimos minutos de vida.

PUBLICIDADE

Polícia descartou possibilidade de acidente doméstico 

As autoridades ficaram cerca de quatro horas realizando uma nova perícia no apartamento do casal. A situação foi feita nesta última segunda-feira, dia 29 de março.

PUBLICIDADE

Com a realização de uma análise técnica, foi estudado e comparado as distâncias entre os móveis e o chão para avaliar se existia a possibilidade de um acidente doméstico, como a mãe do menino apontou.

Contudo, essa hipótese foi descartada. Uma queda não teria causado todos os ferimentos que foram encontrados no corpo da criança.

Muitos pedem por justiça no caso.

PUBLICIDADE