Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: polícia escuta o testemunho dos vizinhos e médicos que atenderam o menino

PUBLICIDADE

Nesta segunda-feira, o delegado Henrique Damasceno, ouviu o relato de sete testemunhas envolvidas no inquérito. Além de três moradores vizinhos do condomínio, a professora Monique Medeiros da Costa, e o namorado médico e vereador Jairo Souza, também prestaram declarações, além de quatro pediatras que realizaram o atendimento na criança na unidade hospitalar.

No decorrer desta semana, ainda deverão comparecer na delegacia, os familiares da mãe e do namorado de Henry, além da psicologa que estava acompanhando o menino após a separação dos pais. Durante as declarações, a professora disse que ela e o filho, tinham abandonado o imóvel, onde residia com o ex-marido, o engenheiro Leniel Borel de Almeira, no Recreio dos Bandeirantes, em julho do último ano, após uma crise no relacionamento que piorou após o inicio da pandemia.

Na altura, ambos foram viver para casa dos avós maternos da criança, em Bangu. De acordo com Monique, ela ressaltou que conhecer Jairinho, no último dia de agosto, enquanto decorria um almoço no restaurante Village Mall. Ela confirmou ainda, que o namoro ocorreu dois meses depois. Já em novembro, o parlamentar tinha sugerido à mãe do menino, que ambos fossem viver juntos num imóvel em Majestic.

PUBLICIDADE

Neste domingo, a mãe de Henry cedeu uma entrevista ao Domingo Espetacular, onde falou sobre o filho, que ele era a sua prioridade, que era uma criança muito doce. Ela descreveu ainda, que o filho era gentil, educado, dócil e carinhoso. No qual destaca que ele era uma criança maravilhosa.

De acordo com o laudo, que indica que o menino sofreu uma hemorragia interna e laceração hepática, causada por acao contundente, os peritos afirmam ainda, que as lesões expostas no corpo da criança, não são associadas a um acidente doméstico. Dr: Jairinho alegou que não existiu crime.

PUBLICIDADE