Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: pai da criança também está sendo investigado pela polícia e defesa se pronuncia

PUBLICIDADE

O caso do menino Henry Borel continua a repercutir no Brasil inteiro. A criança de apenas 4 anos morreu enquanto ainda estava no apartamento com sua mãe, Monique Medeiros, e com o seu padrasto, Jairo Souza, conhecido como Dr. Jairinho, médico e vereador.

As autoridades querem entender o que causou a morte de Henry. Diante disso, nesta sexta-feira, dia 26 de março, eles realizaram um mandado de apreensão nas residências de todos os envolvidos. Celulares, computadores e outros dispositivos eletrônicos foram apreendidos. Tudo deve colaborar para que o caso tenha uma resposta definitiva.

Monique Medeiros, a mãe, Dr. Jairinho, o padrasto e Leniel Borel, o pai, tiveram seus equipamentos eletrônicos apreendidos.

PUBLICIDADE

O imóvel de Leniel fica situado na região de Recreio e foi visitado pelas autoridades.

Defesa de Leniel se pronunciou 

PUBLICIDADE

Diante do anúncio de que até mesmo a casa do pai da criança receberia um mandado de apreensão das autoridades, a defesa de Leniel se pronunciou. Em uma reportagem ao portal UOL, o advogado do pai de Henry disse que estava tranquilo e que a polícia apenas estava fazendo o papel dela.

Além disso, ressaltou que o mandado feito na casa de seu cliente era apenas para colaborar com as investigações.

Leniel passou o último fim de semana de Henry junto com ele, os dois passearam e tiveram um dia divertido. O pai jamais iria imaginar que seria a última vez que veria o garoto com vida. Ele pede por justiça.

PUBLICIDADE