Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: Mensagens revelam que Monique quis instalar câmeras de segurança para flagrar agressões

PUBLICIDADE

Detalhes revoltantes foram revelados pelos investigadores do caso Henry e expostos pelo delegado. No entanto, a polícia ainda tenta entender qual é o papel desempenhado por Monique Medeiros em toda a narrativa.

Em alguns momentos, Monique demonstra extrema frieza em lidar com os fatos, inclusive com a morte do filho único. Em outros momentos, no entanto, demonstra algum tipo de comoção com toda a situação.

De acordo com informações dadas por ela à polícia, por exemplo, durante o caminho ao hospital, ela realizou massagem cardíaca e respiração boca-a-boca no menino Henry. No entanto, no dia seguinte ao seu enterro, teria ido a um salão de beleza para fazer unhas e cabelo.

PUBLICIDADE

Monique, de acordo com mensagens recuperadas pela polícia, demonstrou preocupação ao descobrir que Henry estava sendo agredido pelo padrasto. No entanto, no dia do depoimento, tirou selfie dentro da delegacia.

Mensagens trocadas por ela e a babá do menino, identificada como Thayná, mostram que ela chegou a se preocupar e cogitou instalar um sistema de câmeras dentro da casa. Sua intenção era flagrar as agressões.

PUBLICIDADE

Monique chega a pedir ajuda da babá para encontrar um lugar estratégico, mas destaca “tem que ser imperceptível”. A babá chega a sugerir entrar em contato com um padrinho, que seria da área. Monique afirma ter interesse.

A conversa das duas revela uma mãe preocupada com o que acontecia dentro de casa, mas suas atitudes apontam em outra direção. Quando questionado sobre o perfil de Monique, o delegado se recusou a responder e afirmou que não era seu papel tal definição.

Via: noticias.uol.com.br

PUBLICIDADE