Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: casal não foi preso pela morte do menino Henry, detalhes explicam

PUBLICIDADE

A polícia civil do Rio de Janeiro prendeu na manhã de hoje (05) o casal Jairo Souza e Monique Medeiros. Os dois são investigados e suspeitos na morte de Henry Borel, o menino morreu na madrugada do dia 8 de março.

No fim de semana que antecedeu sua morte, Henry havia passado com o pai. Leniel lembra que o filho chegou a manifestar o desejo de não voltar para a casa da mãe, onde também morava o vereador Jairinho. O menino chegou a se queixar com o pai, afirmando que o “tio Jairinho” abraçava forte demais.

Na noite do domingo (07), Leniel entregou o menino à mãe e o menino chegou a passar mal. Na madrugada da segunda-feira (08), já sem vida, Henry deu entrada no hospital. Um exame de necrópsia mostrou que o menino tinha diversas lesões pelo corpo.

PUBLICIDADE

Hoje (08), um mês após a morte do menino, a Justiça acatou um pedido de prisão temporária contra Jairinho e Monique. Os dois, de acordo com os investigadores, vinham atrapalhando as investigações.

Uma das acusações feitas pela polícia, que resultou na prisão, foi a de que Jairinho e Monique vinham hostilizando e ameaçando testemunhas, com o intuito de combinar as versões que viriam a ser apresentadas para a polícia.

PUBLICIDADE

Os dois estão presos temporariamente e a prisão, por enquanto, tem prazo de 30 dias. O inquérito sobre a morte do menino Henry pode ser fechado antes disso. Portanto, o casal esta apreso apenas porque vinha, de acordo com os investigadores, atrapalhando as investigações.

Jairo e Monique apenas responderão pela morte do menino Henry à Justiça caso sejam denunciados ao fim do inquérito.

Via: recordtv.r7.com

PUBLICIDADE