Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry: advogado afirma que homicídio irá ‘cair na conta’ de Monique ou Jairinho

PUBLICIDADE

O caso do menino Henry Borel continua a gerar grandes repercussões nas redes sociais. Muitos querem entender o que levou a morte do garoto de apenas 4 anos de idade. A criança morreu enquanto ainda estava no apartamento da mãe, Monique Medeiros, e do padrasto, Jairo Souza, o médico e vereador conhecido como Dr. Jairinho.

Henry chegou ao hospital sem os seus sinais vitais. Um laudo foi realizado pelo IML (Instituo Médico Legal) e apontou diversas fraturas violentas no corpo da criança. A causa de sua morte foi dita como hemorragia interna. O caso continua em investigação.

Por diversas vezes, o pai do menino, Leniel Borel, que chegou a passar um último final de semana com o seu filho, alegou que está buscando por justiça no caso.

PUBLICIDADE

Ailton Barros, um dos advogados contratados para representar Leniel, chegou a fazer graves acusações contra o casal. A situação foi exibida pelo programa Record News.

PUBLICIDADE

Ailton teria dito que Monique e Jairinho não são envolvidos, são suspeitos de homicídio. Diante disso, afirmou que iria ‘cair na conta’ de um deles. Que ou o homicídio cairia na conta da mãe, ou cairia na conta do padrasto, ou na dos dois. Finalizando, ele ainda afirmou que com certeza a sociedade teria uma resposta em relação a isso.

Até o momento, Monique e Jairinho foram ouvidos como testemunhas, e não, como suspeitos. Mas, isso pode mudar, visto que a versão que Monique deu de que o filho poderia ter caído da cama, já foi descartada.

Via: youtube.com

PUBLICIDADE