Skip to content

Brasil chega ao patamar de 2,2 milhões de casos de coronavírus

No dia 23 de julho, o Brasil registrou o número de 1.311 novas mortes causadas por Covid-19, batendo a marca de pouco mais de 84 mil mortes já confirmadas, divulgou o Ministério da Saúde.

PUBLICIDADE

Ainda, os dados apontam para um aumento de 59.961 casos confirmados de Covid-19 no país, trazendo o Brasil para o patar de 2.287.475 casos no total.

Na quarta-feira (22), o país bateu o recorde diário de novos casos de coronavírus, acrescentando 67.860 infecções às suas fileiras e fileiras de doentes.

Desse total, o governo federal informou que já foram recuperados mais da metade, 1.570.273, com 3.786 ainda sob investigação.

São Paulo: epicentro da pandemia

 O Estado de São Paulo é o que apresenta maior número de casos, de longe o epicentro da pandemia no país: 452.007 casos confirmados e 20.894 óbitos registrados causados por Covid-19.

PUBLICIDADE

Em segundo lugar, aparece o Estado do Ceará, registrando 156.242 casos e 7.374 mortes pela doença. Em seguida, consta o Estado do Rio de Janeiro, com 151.549 casos e 12.535 óbitos.

Cloroquina e vacinas

 Foi publicado nesta quinta-feira (23) um estudo brasileiro que aponta para a ineficácia da hidroxicloroquina no tratamento da doença. Analisou-se na pesquisa 667 pessoas espalhadas por 55 hospitais do país.

Por outro lado, há ao menos quatro protótipos de vacina contra Covid-19 atualmente em teste no Brasil.

A vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, que já está na terceira fase de testagem, mostrou-se segura e capaz de induzir resposta imune contra a doença.

Nesta terça-feira (21), chegaram em São Paulo as primeiras doses da vacina chinesa CoronaVac para início da testagem. No mesmo dia, a Anvisa autorizou os testes clínicos de duas outras vacinas desenvolvidas pela Pfizer e a BioNTech.

Mesmo com as boas e auspiciosas notícias, o diretor do programa de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS) buscou acalmar os ânimos, afirmando nesta quarta-feira (22) que a vacina não estará pronta até o início de 2021.