Entretenimento

Guatemala pretende impedir a entrada no país de uma banda de rock sueca por “blasfêmia”

0

(Por El País)

Em uma sessão intermediária entre o povo e o poder político, o Congresso da Guatemala promulgou na quarta-feira um ponto resolutivo para proibir a entrada no país da banda de rock sueca Marduk porque eles consideram sua música “satânica” e “blasfema “e que” ataca os sentimentos religiosos, principalmente cristãos, da sociedade guatemalteca “.

A decisão inclui uma petição ao Executivo para ordenar que a Direção Geral de Imigração proíba a entrada no país centro-americano de “qualquer pessoa relacionada ao grupo”, que deveria realizar um concerto na capital guatemalteca em 11 de outubro.

Para a discussão do tema a ser incluído na sessão ordinária na quarta-feira, a ordem do dia foi alterada. Nos argumentos de discussão de tribunal religioso mais má influência alternaram na juventude de alguns tipos de música, com mais sólidos, como deputada Eva Monte Bac, que argumentou que a proibição vigilante contra a liberdade de expressão e de religião . “Se vamos proibir essa música, vamos começar com reggaeton e narcocorridos, repletos de mensagens misóginas. É a quarta vez que o grupo vem para a Guatemala. Os deputados não devem ser hipócritas “, ressaltou.

Esta é também a opinião do Procurador de Direitos Humanos [Procurador de Justiça], Jordan Rhodes, que, em uma conversa telefônica com este jornal, lembrou que a Constituição é a lei suprema que garante a liberdade de religião e de livre expressão do pensamento.

“Ninguém é obrigado a assistir a esse show”, disse ele, acrescentando que na Guatemala há questões de real interesse nacional, como educação ou saúde, que devem merecer a atenção prioritária dos legisladores. A Constituição guatemalteca garante a liberdade religiosa.

Do outro lado da escala estão os deputados que, na véspera do ano eleitoral, empunham argumentos dirigidos a seus possíveis eleitores sobre a prevalência do cristianismo na sociedade guatemalteca.

“Pelo que sei, somos um povo majoritariamente cristão e devemos respeitar nossos costumes (…) respeitar a religiosidade do povo guatemalteco”, argumentou o deputado Oliverio García.

A discussão durou quase uma hora e, no final, os congressistas que se opunham à apresentação de Marduk se impuseram por uma diferença esmagadora: 87 votos contra 13.

80% dos guatemaltecos professam alguma confissão de caráter cristão e os católicos são impostos por uma pequena diferença de três pontos percentuais nas diferentes confissões evangélicas, de acordo com uma pesquisa de 2015 do ProDatos para o jornal Prensa Libre.

O grupo Marduk, fundado em 1990, tem sido criticado em outros países pelo conteúdo de seus temas, próximo ao nazismo. Eles se dizem “a banda mais blasfema do mundo” e já tocaram antes no país da América Central.

Sobre Marduk

Marduk é uma banda sueca de black metal. Entre os temas mais cantados pela banda está o satanismo, o anti-cristianismo e a Segunda Guerra Mundial. Ela é largamente conhecida pela blasfêmia constante e profunda em suas letras.

Ela se formou na década de 1990 e passou por algumas formações diferentes até chegar na atual, composta por:

  • Evil (Morgan Steinmeyer Håkansson) –  Guitarra
  • Devo (Magnus Andersson) –  Baixo e Guitarra
  • Mortuus (Daniel Rosten) –  Vocal
  • Fredrik Widigs –  Bateria

Eles contam com 14 álbuns de estúdio.

Danieli Mennitti
Possuo graduação e mestrado em História pela UNESP. Faço parte da equipe de redação do portal Resumo. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Interesso-me e escrevo sobre os mais variados assuntos.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *