Skip to content

Governo anuncia cortes de programas sociais e benefícios para exportadores

O Governo Federal anunciou o corte de programas sociais e benefícios para exportadores, a fim de bancar a diminuição do preço do óleo diesel. O corte impactou 47 setores e programas sociais, como o SUS, o policiamento das estradas e moradia social.

PUBLICIDADE

Ações e reações

Mais de 95% do orçamento estão sendo totalmente destruídos pela política de golpistas. Os programas sociais criados pelo Partido dos Trabalhadores, deram ao brasileiro um pouco de dignidade para viver.

Entre eles destacam-se o Bolsa Família, o Prouni e o Minha casa minha vida, que tirou o cidadão brasileiro da escravidão imposta pelo antigo governo o PSDB.

Após a queda do governo da ex-presidenta Dilma Rousseff, Michel Temer em apenas dois anos, entregou diversas áreas públicas, não conseguindo fechar as contas frente à crise do Brasil.

Cortes de verbas de programas sociais

Com o objetivo de somar R$ 9,5 bilhões de reais em economia do orçamento do governo, praticamente todas as áreas do governo vão receber cortes de recursos.

No caso de exportadores, perderão a alíquota do Reintegra (Regime Especial de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras), que permitiam a eles terem de volta parte dos impostos cobrados na cadeia de produção.

PUBLICIDADE

A indústria de refrigerante e a indústria química perderão parte dos créditos que seriam usados para abater impostos. Foi divulgado no diário Oficial os programas que terão recursos cancelados para 2018, alguns deles são:

 

 

A promoção dos direitos da juventude, a simplificação e integração de serviços públicos, as políticas de Igualdade e enfrentamento à violência contra as mulheres, a agricultura e pesca, a reforma agrária, a defesa da agropecuária, a assistência técnica e extensão rural para agricultura familiar;

Ciência, tecnologia, inovação, agropecuária sustentável, concessão de bolsas de incentivo a instituições de ensino superior, incentivo à micro e pequena empresa, programas de energia elétrica, promoção e gestão de comércio exterior, memorial da anistia política do Brasil;

Na demarcação de terras indígenas e de povos isolados, prevenção de combate às drogas, programa de geologia e mineração realização de eventos no exterior pelo Ministério das Relações Exteriores, auxílio-moradia de agentes públicos, produtos e insumos da área da saúde;

De doenças infecciosas, saúde da mulher e de crianças, vigilância sanitária, transportes, o programa de riscos e desastres, fortalecimento do sistema único de saúde (SUS), moradia digna, previdência social, promoção de trabalho decente e economia solidária, aviação civil entre outros.

Dentre tais cortes de verbas, estão programas de interesse para os próprios caminhoneiros: o setor de transportes sofreu o maior corte cerca de R$ 1,5 bilhão de reais, sendo que R$ 371 milhões seriam destinados a 40 obras em rodovias.

Enquanto isso os brasileiros, todos sem exceção, seguem pagando a conta, a fim de arrecadar mais e mais por meio de impostos em cima de impostos, obtendo pouco retorno por parte da administração do governo.

O que força novamente cada um dos cidadãos reverem suas prioridades e escolherem quem vão colocar no poder, em ano conturbado de eleição.