Skip to content

Dólar aumenta e atinge a marca de R$4,11

Depois de abrir em queda, o dólar começou a trabalhar em alta agora nesta terça-feira, dia 28 de Agosto, com o conjunto dos investidores de olho no contexto exterior e prestando atenção no cenário eleitoral. Na semana passada, a moeda dos Estados Unidos se elevou em quase 5%.

PUBLICIDADE

Às 10h17, a moeda estadunidense se elevada em 0,48%, tendo sido vendida a R$ 4,1008. Na máxima do dia, a divisa alcançou o valor de R$ 4,1134, de acordo com o ValorPro.

As condições domésticas demandam o maior cuidado possível, perante as incertezas das eleições presidenciais a acontece no mês de outubro.

O Banco Central efetua nesta sessão um leilão de até 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento do mês setembro, totalizando então cerca de US$ 5,255 bilhões.Caso essa oferta diária permaneça e vendê-la até o fim do mês, terá acontecido a rolagem integral.

O que rolou na última sessão

Na véspera, a moeda estadunidense teve queda de 0,57%, sendo vendida a R$ 4,0812. Ao longo do ano, o dólar acumula uma alta superior ao índice de 23%, conforme informações cedidas pelo ValorPro.

Novo nível e possibilidades

A atual disparada do dólar, que novamente quebrou a barreira dos R$ 4 depois de 2 anos e meio, ocorre diante das dúvidas a respeito do cenário eleitoral e igualmente do cenário externo mais agitado, o que instiga a ampliação da busca por proteção em dólar.

PUBLICIDADE

Investidores têm adquirido dólares como forma de responder a pesquisas que demonstram uma fragilidade de candidatos direcionados a reformas em consonância com o mercado. Ademais, a ansiedade provoca uma maior busca por proteção, o que gera pressão em cima do real. Exportadores, empresas portando dívidas em dólar e turistas nervosos partem correndo para comprar e acabam auxiliando a elevação o preço da moeda norte-americana.

Outra razão que exerce pressão sobre o câmbio é a possibilidade de aumento das taxas básicas de juros nas economias desenvoldidas como Estados Unidos e União Europeia, o que estimula a retirada de dólares dos países emergentes.

A opinião dos especialistas é de que a tensão provavelmente siga adiante e que o mercado irá testar diversas novas máximas até encontrar um novo piso ou até que se delineie uma definição mais precisa da corrida eleitoral.

Qual a influência do dólar na vida dos brasileiros?

O valor do dólar em comparação ao real se altera diariamente, diversas vezes no decorrer do dia. Ao contrário do que possa parecer, as pessoas afetadas por isso não são somente aquelas que vão viajar para o estrangeiro.

Um primeiro ponto é que o preço dos produtos pode subir. Mesmo que um produto seja fabricado aqui no Brasil, uma parcela dos seus componentes pode vir do exterior. Se o valor desses insumos se eleva, encarece o produto final.

Em outras palavras, a cotação do dólar exerce influência direta sobre a inflação.

Além disso, as companhias brasileiras que realizam a exportação de suas mercadorias ganham mais dinheiro. Os produtos fabricados aqui ficam mais baratos que nos países onde são vendidos. Dependendo de outros fatores, essas empresas passam a ter mais recursos para fazer investimentos e gerar empregos.