Skip to content

Beneficiários do Bolsa Família seguem recebendo auxílio emergencial

Em meio à instabilidade econômica causada pela pandemia de coronavírus, muitas famílias brasileiras estão sendo beneficiadas por recursos emergenciais do governo, para uma redução das incertezas durante o período.

PUBLICIDADE

Ocorre que muitos brasileiros estão se questionando acerca de até quando os beneficiários do programa Bolsa Família continuarão a receber o auxílio emergencial.

Após a prorrogação do pagamento dos valores emergenciais por mais duas parcelas, os beneficiários do Bolsa Família já estão recebendo o dinheiro desde o dia 20 deste mês.

Benefícios em tempos de prejuízo

 Com efeito, o pagamento de auxílio emergencial a beneficiários do Bolsa Família segue inalterado. O cronograma não sofreu alteração e os depósitos têm ocorrido conforme o calendário normal do programa.

De acordo com a programação ordinária, o pagamento é realizado nos últimos dez dias do mês, de forma escalonada, de acordo com o dígito final do Número de Identificação Social (NIS) dos beneficiários.

PUBLICIDADE

Assim, os depósitos terão início no dia 20 e seguirão até o dia 31. Os beneficiários do Bolsa Família e elegíveis ao recebimento do auxílio receberão as parcelas conforme as regras regulares, de R$ 600 a R$ 1.200.

A parcela paga neste mês é a quarta já paga pelo governo federal. Em agosto, será depositada a quinta e, conforme expectativa do governo, última parcela do programa.

Assim, o auxílio emergencial será mantida para os beneficiários do Bolsa Família até agosto. Estima-se que cerca de 95% de todos os beneficiários do programa também estão recebendo o auxílio.

Renda Brasil

 Está para sair em breve a nova proposta de programa social do governo federal, o Renda Brasil, que irá substituir o Bolsa Família e concentrar uma série de outros benefícios, constituindo um programa mais amplo e abrangente.

Usando da mesma base do Bolsa Família e dos atuais beneficiários do auxílio emergencial, o Renda Brasil pretende ir além destes qualificados, atendendo também informais, autônomos, desempregados e mais.

A novidade é que aqueles que estão recebendo auxílio emergencial e não estavam cadastrados em outros programas serão elegíveis para receber o Renda Brasil, que deverá ser de R$ 250 a R$ 300 mensais.