Skip to content

Acesso para inclusão de documentos pendentes é possível, diz governo

Nesta sexta-feira (24), o governo informou que aqueles que realizaram pedidos do auxílio emergencial e apresentaram inconsistências em seus cadastros já podem acessar o app Caixa Tem para incluir os documentos que faltam.

PUBLICIDADE

Do grupo que teve as suas contas sociais bloqueadas, 49% são pessoas com essas inconsistências no cadastro. Para evitar aglomerações nas agências físicas, a Caixa Econômica Federal irá facultar o acesso digital para concluir os pedidos.

O restante dos bloqueios (51%) se deu em virtude de suspeitas de fraude ou de beneficiários potencialmente vítimas de golpes por estelionatários.

Posição do Ministério da Cidadania

 “Não vamos sossegar enquanto não identificarmos e punirmos esses criminosos que estão se aproveitando de um momento como este, de pandemia mundial, para roubar dinheiro da população mais necessitada do País”, disse Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania.

Lorenzoni ressaltou que o governo federal está tomando todas as providências possíveis para que o dinheiro emergencial, a um só tempo, chegue a quem precisa e revele o rastro dos fraudadores, para que sejam punidos.

PUBLICIDADE

A pasta chefiada por Lorenzoni enviou à Caixa mais de 1,3 milhão de CPFs suspeitos, para bloqueio e investigações detalhadas.

A ação coordenada é possível graças a convênios celebrados entre a Controladoria-Geral da União (CGU), o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público Federal (MPF) para fiscalização do auxílio emergencial.

Presidente da Caixa se pronuncia

 Pedro Guimarães, o presidente da Caixa, esclareceu a divisão das contas nos dois grupos e a forma de solução das pendências: uma parte concluirá o cadastro pelo aplicativa e a restante indo às agências gradualmente.

O objetivo é acelerar a resolução dos problemas sem agravar a situação pandêmica do país, com aglomerações nas agências bancárias.

“Primeiro, combater a fraude é fundamental. Fraude no pagamento do auxílio emergencial no momento de pandemia é algo extremamente grave”, disse Guimarães.

“Realizamos o bloqueio de diversas contas e separamos em dois grupos. São 51% com grandes indícios de fraude. Nesse caso, para o desbloqueio há necessidade de ir às agências de acordo com o mês de nascimento”, explicou.