Skip to content

Saiba quais são alguns dos piores genocídios do século XX

A história mundial é repleta de episódios de violência e crueldade. Costuma-se dizer que há uma estimativa anônima (e incerta, obviamente) de que há cada 10 anos em que se passou havendo guerras no mundo, houve apenas 1 ano de paz.

PUBLICIDADE

Momentos de conflitos são repletos de violência, como se sabe. Contudo, há contextos em que a situação atinge níveis absurdos, extrapolando até mesmo os níveis “esperados” de uma guerra. São aqueles em que são cometidos crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Uma das maiores categorias de atrocidades cometidas pela humanidade, ao longo da história, foi o que recebe o nome de genocídio.

O que é genocídio?

Em termos gerais, pode-se definir o genocídio como o extermínio deliberado, arbitrário e sistemático, seja ele parcial ou total, de um determinado grupo de pessoas, motivado por questões de raça, etnia, religião ou nacionalidade.

Esse termo não existia antes de 1944. No ano de 1944, Raphael Lenkin, um advogado judeu da Polônia, criou a palavra “genocídio” em uma tentativa de definição das políticas do nazismo sobre o assassinato sistemático e destruições do povo judeu.

Lista dos alguns dos piores genocídios do século XX

Enumeramos adiante alguns dos piores genocídios do século XX:

PUBLICIDADE

Genocídio Bósnio (1992-1995)

Depois da queda da União Soviética, o Estado da Iugoslávia, que era comunista, evidenciava sua enorme fragilidade. Ele era composto por uma variedade imensa de povos e etnias. A Iugoslávia, por conta disso, viveu anos em guerra civil.

Escavação encontrando centenas de ossadas decorrentes do massacre de bósnios.

Uma guerra sangrenta eclodiu no que é hoje em dia a Bósnia-Herzegovina, com bósnios muçulmanos e croatas de um lado e bósnios sérvios de outro. Por volta de 100 mil pessoas bósnias foram mortas e 20 mil mulheres foram estupradas.

Genocídio Curdo (1986-1989)

O genocídio do povo curdo foi realizado no norte do Iraque, pelo presidente Saddam Hussein e foi fruto da guerra entre o Irã e o Iraque na década de 1980.

Soldado iraquiano dando um último tiro em curdos.

Saddam comandou uma campanha genocida contra a população curda existente no Iraque. 4500 vilas foram destruídas e um número entre 50 mil a 182 mil curdos iraquianos foram exterminados.

Genocídio da população do Timor Leste (1975-1979;1999)

Timor Leste foi colônia e Portugal por um tempo. Quando se tornou independente, após pouquíssimo tempo, foi invadido pela Indonésia. Sob a desculpa de que iria frear o comunismo, ocupou a região.

Entre 1975 e 1979, durante uma campanha de “pacificação” 20 mil timorenses foram mortos, o que se constituía em um terço da população.

Pessoas do Timor Leste mortas por forças da Indonésia.

Em 1999, quando a votação pela independência foi bem sucedida, cerca de 200 mil pessoas do Timor Leste foram obrigadas a viver em campos de concentração, onde inúmeros morreram pelas condições precárias dos campos ou pela força.

Genocídio dos tutsis em Ruanda (1994)

É um dos mais famigerados genocídios da história mais recente da humanidade. O país é composto basicamente por duas grandes etnias: hutus e tutsis. A etnia hutu é maioria no país, compondo cerca de 85% da população.

Criança em meio a centenas de corpos de pessoas da etnia tutsi mortos em Ruanda por hutus.

Após uma série de episódios de conflito pelo poder, quando o avião portando os presidentes de Ruanda, Juvenal Habyarimana, e do Burundi, Cyprien Ntaryamira, ambos hutus, foi derrubado, culparam o grupo rebelde tutsi RPF pelo ocorrido.

Desde então, hutus mataram sistematicamente os tutsis, utilizando principalmente armas como facões.

Genocídio armênio (1915)

O genocídio do povo armênio ocorreu na região que hoje corresponde à Turquia. Na Primeira Guerra Mundial, os armênios foram acusados de traição e conluio com os russos. Por causa disso, mais de 2 milhões de armênios foram expulsos de suas casas e forçados a marchar por um deserto perto da Síria.

Armênios sendo escoltados por soldados otomanos marchando na cidade de Arput para um campo de prisioneiros, em 1915.

Eles foram mortos das mais diversas formas: exaustão, fome, afogamento, fogo, armas biológica, armas químicas, armas de fogo, entre outras.

Genocídio do povo judeu/ Holocausto (1933-1945)

Ao contrário do que se pensa, o Holocausto judeu não se inicia nos anos de duração da Segunda Guerra Mundial em si, mas alguns antes antes, em 1933.

O cruel e impiedoso líder nazistas Adolf Hitler logrou subir ao poder em 1933. A campanha anti semita de Hitler já havia se iniciado antes, sendo aliás um dos elementos que o ajudou a conquistar a posição de chanceler, dado os sentimentos extremistas da população alemã na época.

Contudo, a sistematização da perseguição e extermínio do povo judeu começou em 1933. A partir de então, uma série de políticas excludentes e discriminadoras contra o povo judeu foram implementadas.

O primeiro campo de concentração, que era um local onde os judeus (principalmente) eram recolhidos, presos e forçados a trabalhos extenuantes e a viver em condições muito precárias, foi o campo de concentração de Dachau, na Alemanha, em 1933.

Dezenas de corpos de judeus próximo a vala onde seriam enterrados, em um campo de concentração nazista.

A morte de judeus começou aí, em contingentes menores e de modo mais “devagar”, mas o extermínio em massa, ou seja, em grande quantidade e acelerada, dos judeus começou em 1941, quando foi decreta a “Solução Final para a Questão Judaica”.

Com isso, mais outros campos foram construídos e milhões de pessoas, entre homossexuais, ciganos, testemunhas de Jeová, comunistas, deficientes físicos, deficientes mentais e principalmente judeus foram mortos. Estima-se que mais de 6 milhões de judeus foram mortos, sendo 2 milhões no maior e mais conhecido campo de concentração extermínio: Auschwitz.