Skip to content
PUBLICIDADE

STF considera que Moro foi parcial ao condenar Lula no caso do tríplex do Guarujá

PUBLICIDADE

Nesta terça-feira (23), a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, decidiu por 3 votos a 2, que o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sergio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no caso julgado na operação Lava-Jato, sobre o tríplex do Guarujá, onde o político foi condenado.

Todas as supostas provas que levaram Lula a ser condenado estão anuladas e não serão mais consideradas.

A ministra Cármen Lúcia (STF), mudou seu voto na sessão que aconteceu nesta tarde e optou pela parcialidade do então juiz Sergio Moro que passou a ser considerado suspeito.

PUBLICIDADE

Além da ministra Cármen Lúcia, votaram a favor da parcialidade do ex-juiz federal da Lava-Jato, foram eles os ministros Gilmar Mensdes e Ricardo Lewandowski. Foram derrotados os ministros Kássio Nunes Marques e Edson Fachin.

Este julgamento da Segunda Turma do STF começou no final de 2018, naquela ocasião, os ministros Edson Fachin e Carmén Lúcia votaram a favor de Moro e contra o habeas corpus de Lula. Naquele momento o ministro Gilmar Mendes pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso e suspendeu o julgamento.

PUBLICIDADE

Contudo, é preciso ressaltar que para que o ex-presidente Lula não pode ser considerado elegível para as eleições presidenciais, Luiz Inácio depende do resultado do julgamento do plenário do STF que colocará em pauta a decisão individual de Fachin que anulou todas as condenações contra o petista. Somente após este julgamento, caso a decisão de Fachin seja mantida, Lula poderá concorrer à presidência.