Skip to content
PUBLICIDADE

Caso Henry – Depoimento da psicóloga do menino traz revelações impactantes: não queria ficar na casa do “Tio Jairinho”

PUBLICIDADE

Nesta última segunda-feira (29), compareceu na 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca, localizada no Rio de Janeiro, a psicóloga que realizou o acompanhamento terapêutico de Henry Borel Medeiros, de 4 anos, que foi encontrado morto na casa do namorado da sua mãe.

A professora Monique Medeiros da Costa e Silva, mãe de Henry, procurou a psicóloga justamente porque o filho não queria ficar na casa onde ela vivia com o vereador Dr. Jairinho.

Em seu depoimento a profissional de saúde afirmou que este com Henry em cinco sessões, revelou que o garoto demonstrava muito afeto pelos avós maternos, reclamava saudades do pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida.

PUBLICIDADE

Segundo a psicóloga que não teve seu nome identificado, afirmou que foi possível identificar que o local onde Henry se sentia mais confortável e seguro era na casa dos avós maternos, que fica localizada em Bangú, principalmente quando o avó estava presente.

Ao prestar os esclarecimentos para a polícia a depoente afirmou que Henry lhe contou que foi morar com um “tio”, ao perguntar que era a pessoa com quem ele estava morando o menino teria respondido “Tio Jairinho” e que o menino não demonstrou medo do padrasto.

PUBLICIDADE

A intenção de Monique em procurar por ajuda psicológica para o filho se deu na expectativa de auxiliar Henry a lidar com a nova realidade, em apenas quatro meses ela se separou de Leniel e foi morar com Jairinho. A polícia continua investigando o caso.