World

Seis palestinos mortos por forças israelenses em protestos em Gaza

0

Reprodução/ REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

(Por The Guardian) Forças israelenses mataram seis palestinos, incluindo quatro em um único incidente, em um dos dias mais letais em meses de protestos em massa ao longo da cerca de segurança que separa Gaza e Israel, informou o Ministério da Saúde de Gaza.

Reprodução/ REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

O ministério disse que quatro foram mortos em um local, onde o exército israelense disse que abriu fogo contra palestinos que violaram a cerca e se aproximaram de um posto do exército. Nenhuma tropa israelense foi prejudicada, acrescentou o Exército.

Pelo menos 140 palestinos foram feridos por balas, informou o ministério.

O Exército israelense disse que 14 mil palestinos se reuniram em áreas de cercas fronteiriças, queimando pneus e atirando pedras, bombas incendiárias e granadas contra soldados estacionados em cima de montes do outro lado da barreira.

Desafio, depois morte: Gaza sofre o pior dia de violência por quatro anos

Desde março, o Hamas tem orquestrado protestos semanais ao longo da cerca, pressionando para o fim do sufocante bloqueio israelense-egípcio imposto desde que o grupo militante assumiu o controle de Gaza em 2007.

O líder político do Hamas, Ismail Haniyeh, que participou de um protesto no leste da cidade de Gaza, disse que “a determinação do povo palestino vai quebrar o cerco”.

Mais de 150 palestinos participando ou presentes nas marchas foram mortos desde que começaram. Em maio, cerca de 60 manifestantes foram mortos em um único dia, tornando-se um dos mais mortíferos desde a guerra de 2014 entre os dois lados.

O bloqueio restringiu a capacidade do Hamas de governar e atormentou a maioria dos 2 milhões de habitantes de Gaza. A eletricidade é fornecida por cerca de quatro horas por dia, o desemprego está em mais de 50% e a água da torneira não é possível.

Tentativas repetidas de reconciliar o Hamas e a administração do presidente palestino, Mahmoud Abbas, com sede na Cisjordânia, praticamente falharam, aumentando o desespero que, em grande parte, alimentou as manifestações.

Esta semana, as Nações Unidas começaram a supervisionar as entregas do combustível diesel doado pelo Catar para reiniciar a única usina de energia de Gaza, mas a estação ainda não começou a funcionar.

O Hamas busca um cessar-fogo com Israel assegurando um abrandamento do bloqueio, mas acusa seus rivais na Cisjordânia de frustrar o esforço. Nas últimas semanas, intensificou sua campanha, realizando protestos noturnos e acrescentando novos locais, como ao longo da praia. O Hamas disse que a escalada dos protestos é uma resposta às negociações não resolvidas do cessar-fogo.

 

 

Danieli Mennitti
Possuo graduação e mestrado em História pela UNESP. Faço parte da equipe de redação do portal Resumo. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Interesso-me e escrevo sobre os mais variados assuntos.

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in World