Psicose

Resumo de “Psicose” de Robert Bloch para avaliação, é a primeira vez que envio, não sei bem como funciona.

Resumo do Livro Psicose

Robert Bloch com certeza conta uma história à frente de seu tempo e de forma singular, assim como Alfred Hitchcock fez realmente uma releitura brilhante.

O protagonista Norman Bates é ainda mais excêntrico, solitário e tímido do que conhecemos, vive no seu arcaico casarão e dirige seu motel pouco movimentado. Sente preocupação e medo da “Mãe”, como uma figura divina ela exerce total controle sobre seus atos e até seus pensamentos, o protagonista tem consciência disso, fala da intervenção da mãe na sua transição entre criança e homem, em termos de atitudes e sexualidade, cita também o Complexo de Édipo, observa-se o sutil interesse aquém da figura materna, na intimidade de mãe e filho.

A mãe por ser tão dominadora desencadeou uma série de complicações na vida e na psique de Norman, foi considerado por muitos como pouco promissor e inteligente e o leitor enxerga seu falho traquejo com mulheres, ele próprio se descreve como impotente perante as mesmas. A mãe o fez acreditar que a sexualidade é algo sujo e que jovens e belas mulheres são todas promíscuas.

O autor inovou ao matar a protagonista já nos primeiros capítulos e o famoso crime no chuveiro é pouco descritivo, contudo a retaliação é ainda mais violenta como descobrimos em seguida. A publicação e a história são nos anos 50, quem teve a oportunidade de lê-la nesse período foi totalmente surpreendido pelos eventos, pois a revelação de que a mãe está morta e que somente o Norman poderia ser responsável pelos crimes assumindo a personalidade da mesma é muito adiante.

Norman Bates se tornou parte da cultura pop e do imaginário coletivo, porém costuma ser retratado como um psicopata, mas como o próprio título aponta ele sofre de psicose, confunde fantasia com realidade, tem episódios violentos e múltiplas personalidades: o Norman criança, passivo e inofensivo; o adulto, inseguro mas mais esperto, sente atração por mulheres bonitas e começa a apresentar comportamento agressivo e a mãe, confiante, articuladora, acusadora e mortal. O personagem é tão bem construído que é possível sentir consternação, empatia e em outras ocasiões repulsa e medo.

Leave a Reply