Skip to content

México e Estados Unidos estabelecem um acordo comercial

ago 27, 2018

(Por G1) O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um anúncio nesta segunda-feira, dia 27 de agosto, que seu país e o México fizeram um “enorme” acordo comercial, que faz uma profunda de partes relevantes do Nafta, que é acordo de livre comércio com mais de 20 anos de existência e que que envolve igualmente o Canadá.

Trump ligou para o presidente mexicano, Enrique Pieña Nieto, a fim de congratulá-lo pelo acordo, o qual classificou como sendo de “muito bom para ambos”. O Canadá, por hora, não está participando desse compromisso.

O presidente dos Estados Unidos afirmou que desejar “se livrar do nome Nafta”, que possui uma “conotação negativa”, e que por essa razão o acordo receberá o nome de “The Unites States-México Trade Agreement” (Acordo Comercial Estados Unidos-México).

No telefonema, o presidente estadunidense falou que o acordo proporcionar mais força principalmente para fabricantes e produtores de ambos os países. De acordo com ele, o México afirmou seu compromisso de comprar o quanto antes dos Estados Unidos “tantos produtos agrícolas quantos forem possíveis”.

Em consonância com enunciado pelo embaixador encarregado pelo comércio exterior dos EUA, Robert Lightizer, a respectiva assinatura do acordo deve ocorrer no final de novembro, pois precisa ser respeitado um espaço de 90 dias passados da entrega da carta a respeito dos termos ao Congresso, o que deve acontecer nessa sexta-feira.

De acordo com informações presentes no documento emitido pela Casa Branca, o acordo engloba:

  • Novas exigências de “regras de origem” para estimular “bilhões por ano” em veículos e peças automobilísticas nos Estados Unidos, incentivando “empregos de altos salários”;
  • “Os padrões mais fortes e totalmente aplicáveis de qualquer acordo comercial”;
  • Novas responsabilidades para diminuir “políticas de distorção comercial” para produtos agropecuários;
  • Aprimoramentos para possibilitar que alimentos e a agricultura sejam negociados “de modo mais justo”;
  • Proteções de propriedade intelectual “fortes e efetivas”;
  • “As disciplinas mais fortes em comércio digial de qualquer acordo internacional”;
  • “As mais robustas obrigações de transparência de qualquer acordo comercial dos Estados Unidos”.

Participação canadense

O presidente mexicano falou para a Trump que sua vontade agora é que o Canadá seja igualmente incorporado ao acordo. Ele expressou sua gratidão pela vontade política de Trump e sua participação nas tratativas do acordo em questão.

Em sua conta do Twitter, o presidente Pieña Nieto salientou que aguarda que uma negociação “trilateral” bem sucedida do Nafta ainda nesta semana.

De acordo com o presidente dos Estados Unidos, existe um acordo entre ele e os representantes do Canadá e do México para findar o acordo que existe atualmente, o Nafta.

“Quando isso acontecerá, não posso dizer com certeza; depende do calendário com o Congresso. Mas vou encerrar o acordo que existe e entrar nesse acordo. Trump disse que comecará a negociar com o Canadá “relativamente em breve”. “Eles querem começar – eles querem muito negociar”, falou ele.

O presidente declarou, entretanto, que “de um jeito ou de outro” possui um acordo com o Canadá, que corresponderá a uma tarifa em cima dos carros, o que ele caracterizou como sendo”mais fácil”, ou um acordo negociado.

Mais cedo, um porta-voz do ministério do exterior do Canadá afirmou que o “Canadá só assinará o novo Nafta se ele for bom para o Canadá”, segundo informações divulgadas pela agência Reuters.

No diálogo, Trump falou ainda que este não é a hora certa para se falar em um acordo com a China, porém que “um dia vai ser”.