Skip to content

Importações de soja brasileira na China batem recorde

jul 26, 2020

As importações chinesas de soja do Brasil, o maior fornecedor do grão a nível mundial, subiu a um nível recorde em junho, conforme dados alfandegários publicados no domingo.

Vários fatores pesaram para a ampliação da demanda pelo grão, principalmente a recuperação dos porcos chineses do contágio de gripe suína africana que se abateu sobre a vara nos últimos meses.

A Administração Geral das Alfândegas demonstrou em seus dados que o maior importador de soja do mundo comprou 10,51 milhões de toneladas do Brasil em junho, um aumento de 91% comparado ao mesmo mês no ano passado.

PUBLICIDADE

No total, o país asiático importou um recorde de 11,16 milhões de toneladas de soja, com processadores chineses aproveitando baixos preços do grão brasileiro em meio a condições climáticas favorecendo a exportação.

Promessas chinesas

No mesmo período, os Estados Unidos venderam 267,553 toneladas ao gigante asiático, figurando uma queda de 56,5% em comparação com o mesmo mês em 2019. De maio a junho deste ano, os números caíram 45,6%.

PUBLICIDADE

A China aumentou as compras de fazendas estadunidenses, incluindo outros produtos além da soja, em meio à fase um do acordo celebrado entre as duas maiores potências econômicas do mundo para frear a guerra comercial entre elas.

No entanto, observada a redução nas exportações de soja, a China deverá rapidamente adotar medidas se quiser honrar os seus compromissos com os Estados Unidos de mais compras de produtos agropecuários.

Divergências regionais

Alguns processadores no sul da China enfrentaram problemas com sobre-estoque de soja, com recente queda na demanda da pecuária pelo grão após fortes chuvas e enchentes prejudicarem a atividade.

Por outro lado, importadores relatam que os processadores do norte do país estão em situação mais avantajada, graças à recuperação na demanda associada à recuperação da vara chinesa de porcos.

Nos próximos meses, há expectativa de que os inventários de soja permaneceram altos, ao passo que os carregamentos do Brasil mantenham o passo.

Nesta última terça-feira (21), os inventários de soja no país alcançaram níveis de novembro de 2018, mais que dobrando a baixa recorde registrada no fim de março deste ano.